Mídias Sociais

Política

Câmaras de Macaé e Campos retomam trabalhos com sessões ordinárias nesta terça-feira, 19

Avatar

Publicado

em

 

Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes (foto) tem retorno das sessões ordinárias nesta terça com novo vereador, mudança na presidência e acusações polêmicas nas redes sociais

As sessões ordinárias da Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes retornam nesta terça-feira, 19, após 2 meses de recesso, e assim como as sessões da Câmara de Macaé, que retornam na mesma data, o Legislativo campista volta cheio de mudanças, com nova presidência, novo vereador e promessa de sessões mais dinâmicas e cumprimento de horário.

Se em Macaé, as mudanças se resumem à entrada de Luciano Diniz (MDB) e Reginaldo do Hospital (PROS), respectivamente, nas vagas de Guto Garcia (MDB), que regressou à Secretaria de Educação, e Welberth Rezende (PPS), que assumiu uma cadeira na Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), em Campos, as mudanças são mais profundas.

Em 2 de janeiro desse ano, as duas mesas diretoras eleitas para o biênio 2019-2020 tomaram posse nas duas câmaras. Em Macaé, a nova composição teve a manutenção do presidente, Dr. Eduardo Cardoso (PPS), e o 1º vice, Julinho do Aeroporto (MDB), mas com 3 novidades, o 1º secretário, Dr. Márcio Bittencourt (MDB), o 2ª vice, Dr. Luiz Fernando (PTC), e a 2ª secretária, Renata Paes (PSC).

Já em Campos, o presidente será Fred Machado (PPS), com o Abdu Neme (PR) como 1º vice, Marcelo Perfil (PHS) como 2º vice, José Carlos (DC) como 1º secretário, e Igor Pereira (PSB) como 2º secretário. Além deles, a Mesa conta ainda com Neném (PTB) e Pastor Vanderly (PRB) como 1º e 2º suplentes.

Por 2 anos como líder da bancada governista, Fred tem dedicado este período para arrumação administrativa e já anunciou alguns cortes, como nos lanches e carros do Legislativo, além ter revelado ao portal Folha1, que pretende conferir mais agilidade às sessões legislativas.

“Estamos encerrando o recesso parlamentar e na próxima terça-feira, dia 19, teremos sessão ordinária com início às 17h. Estamos trabalhando junto aos vereadores para que as sessões possam ser mais dinâmicas, limitando o número de moções, conforme previsão do Regimento Interno, para que possamos discutir os temas mais importantes para a população. Também irei frisar junto aos vereadores o horário de início das sessões, em respeito à população que vem à Casa de Leis e que acompanha pela TV Câmara. Com certeza terei o apoio dos nobres colegas e faremos um ano legislativo com trabalho em prol da população campista”, falou Fred ao site do jornal campista.

Outra mudança no Legislativo de Campos é a entrada de Fabinho Almeida (PPS), na vaga do ex-presidente da Casa, Marcão Gomes (PR), que assumirá a Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social do município a convite do Prefeito Rafael Diniz (PPS).

Curiosamente, em Macaé também havia especulações sobre uma possível saída do vereador George Jardim (MDB) para a Secretaria de Agroeconomia, que abriria uma vaga no Legislativo macaense para o Dr. Márcio Barcelos (MDB), mas que acabou não acontecendo.

E além das mudanças, o retorno ao trabalho dos vereadores de Campos também pode marcar um novo capítulo nas polêmicas que também marcaram o recesso parlamentar, principalmente depois que Jorginho Virgílio (PRP) resolveu usar o Facebook para disparar contra os colegas da Câmara.

“Tem vereador em Campos que precisa definir se é político ou empresário. Usar do cargo de vereador pra colocar sua empresa e de amigos e parentes pra ganhar dinheiro público não tá certo. Vou começar dar nome aos ‘bois’ e denunciar no Ministério Público. Tem um assessor de um vereador que foi acusado de construir um abrigo de passageiros bilionário e superfaturado em Guarus no governo Alexandre Mocaiber (sem partido)”, escreveu o vereador do PRP em sua página na rede social.

A postagem desagradou aos demais vereadores por lançar suspeita sobre todos e não citar nome algum, e a situação se agravou depois de um áudio da vereadora Joilza Rangel (PSD) em que ela criticava a atitude de Jorginho.

Mas o parlamentar do partido do ex-governador do Rio, Anthony Garotinho (PRP), e de seu filho, o deputado federal Wladimir Garotinho (PRP), voltou às redes e chegou a citar um filho da vereadora, provocando um seguidor de Jorginho a anunciar que levaria o caso ao Ministério Público fluminense (MP-RJ).

Jorginho Virgílio, porém, esfriou o clima das discussões ao afirmar, de acordo com o Folha1, que não seria pressionado, dizendo ainda que só revelará nomes dos vereadores e outros acusados por ele caso seja convocado.


 

Mais lidas do mês