Mídias Sociais

Política

Câmara de Macaé realizou audiência pública para debate da LOA 2019, que prevê arrecadação de mais de 2,3 bilhões de reais

Publicado

em

 

Plenária da Câmara recebeu bom público para discutir dados da Lei Orçamentária Anual (LOA) para o próximo exercício da administração municipal, com previsões de obras de urbanização, infraestrutura e reformas de equipamentos públicos

A Câmara Municipal de Macaé realizou, no fim da tarde desta segunda-feira, 12, mais uma audiência pública para discutir a Lei Orçamentária Anual (LOA) referente ao exercício de 2019, que prevê um orçamento de 2,3 bilhões de reais.

Do evento participaram vereadores, representantes da prefeitura e sociedade civil, que debateram a legislação que estima a receita e fixa a despesa do município para o exercício financeiro do próximo ano que, junto com a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), compõe o chamado planejamento de curto prazo.

Segundo a prefeitura, a proposta orçamentária foi encaminhada pelo Executivo à Câmara Municipal no último dia 11 de outubro, antes mesmo da aprovação da LDO, que deveria servir de base para elaboração da peça orçamentária.

De acordo com a LOA 2019, a previsão para o orçamento municipal no penúltimo ano do segundo mandato do Prefeito Dr. Aluízio (sem partido) é de R$ 2.316.700.000,00, e a primeira audiência pública foi realizada pelo Executivo no dia 19 de setembro.

“Entre as propostas de aplicação de recursos pelo governo municipal, a Saúde e Educação continuam sendo priorizados. Os investimentos em Saúde pelo município serão de R$ 435.618.000,00 (33,28%,), mais do que o dobro obrigatório por lei que é de 15%. Na Educação também vão ser aplicados R$ 405.784.750,00 (31,17%), acima dos 25% determinados pela lei”, detalhou a prefeitura.

A apresentação foi feita pela Secretário Adjunto de Planejamento, José Manuel Alvitos, e faz parte da agenda de audiências públicas que visam traçar os projetos prioritários para a melhoria da qualidade de vida da população, com destinação definida dos recursos para cada setor.

A sessão foi presidida pelo Presidente da Câmara Municipal, vereador Dr. Eduardo Cardoso (PPS), e acompanhada com atenção pelos parlamentares, que ouviram os dados apresentados pelo gestor do Planejamento municipal.

“Esta audiência pública é para apresentar a LOA 2019; ela não é deliberativa e não decisória. Os vereadores depois poderão fazer as emendas e propostas a essa peça orçamentária. Essa é a segunda audiência e a anterior foi realizada, em setembro, na prefeitura, onde as sugestões fizeram-se constar na proposta orçamentária caracterizando, assim, transparência e participação popular nos processos orçamentários”, explicou José Manuel Alvitos.

Ainda conforme o governo municipal, até o mês de outubro, a arrecadação em 2018 chegou a R$ 2.000.292.671,95, e a expectativa é de que chegue aos mesmos 2,3 bilhões de reais previstos no orçamento do ano que vem.

“A maior parte da arrecadação, 51,5%, é [recursos] de próprios. Recursos esses, vindos, principalmente, do ISS (Imposto Sobre Serviços) e ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza)”, explicou o secretário.

O gestor da pasta explicou ainda que os royalties representam, hoje, no orçamento municipal, algo em torno de 28,16%, mas a previsão é de crescimento para o orçamento dos próximos anos, chegando a R$ 2.356.312.300,00 em 2020, e R$ 2.581.741.900,00 em 2021.

Segundo José Manuel Alvitos revelou, durante sua apresentação de indicadores e previsões referentes ao orçamento de 2019, a previsão do governo municipal é de que mais de 60 milhões de reais sejam investidos em obras de urbanização em diversos bairros, e mais de 24 milhões de reais, na ampliação, melhoria e modernização da infraestrutura da cidade.

Entre obras importantes prevista na peça, estão as reformas, do Estádio Cláudio Moacyr, orçada em 1,462 milhões de reais, e do Ginásio Poliesportivo Engenheiro Mauricio Bittencourt, orçada em 7,479 milhões de reais, as construções da Delegacia de Homicídios, em 12,087 milhões de reais, e da Estrada de Santa Tereza, em 77,453 milhões de reais.

“O grande must dessa situação, que praticamente vocês todos estiveram lá na apresentação, é o Terminal Portuário (Tepor), que é a esperança para Macaé nos próximos 10 anos. E a gente espera que ele realmente se concretize. É um investimento importante e a gente acha que vai dar uma dinâmica melhor para o município de Macaé, porque vai trazer investimentos de muitas empresas”, lembrou o secretário.


 

Mais lidas do mês