Mídias Sociais

Política

Câmara de Macaé cobra informações sobre situação das escolas públicas municipais antes da retomada das aulas presenciais

Publicado

em

 

Em sessão ordinária na manhã desta terça-feira, 8, na Câmara Municipal de Macaé, o presidente da Casa, vereador Cesinha (PROS) apresentou requerimento cobrando da prefeitura informações sobre a situação das escolas públicas municipais para a retomada das aulas presenciais.

Em maio, a prefeitura publicou um cronograma para a volta às aulas presenciais de maneira escalonada, tanto na rede pública quanto na rede privada, com previsões para a rede privada entre 17 de maio e 28 de junho, e a rede pública entre 28 de junho e 2 de agosto.

De acordo com o cronograma, a retomada das aulas presenciais da rede pública em Macaé está prevista para começar no Ensino Superior no dia 28 de junho, no Ensino Médio no dia 5 de julho, e no Ensino Fundamental II e na Educação de Jovens e Adultos (EJA) no dia 26 de julho, e no Ensino Fundamental I e na Educação Infantil no dia 2 de agosto.

O tema vem sendo debatido ao logo de todo o ano entre os vereadores, que já receberam representantes das secretarias de Saúde, e de Educação, e do Conselho Municipal de Diretores de Macaé, que cobraram a volta às aulas presenciais, mas também as adaptações das unidades para proporcionar maior segurança e prevenção contra o contágio do coronavírus.

Na manhã desta terça-feira, os vereadores macaenses aprovaram o requerimento do presidente da Câmara, que cobravam um relatório da prefeitura com as escolas que já se encontram aptas seguindo todas as recomendações do Executivo para a retomada das aulas presenciais do ano letivo de 2021.

“A gente sabe que a gente está muito próximo da retomada das aulas [presenciais] na nossa rede pública de educação. E a gente sabe o quanto temos dificuldade ainda em ver que as escolas estão aptas a receber o nossos alunos. Acredito que a gente poderia estar mais avançado nessa questão, e a gente sabe, a gente tem um apreço por todos os profissionais que estão à frente da Educação, mas a Educação requer atenção, e atenção requer também a presença da secretária de Educação (Eliane de Araújo), cobrou Cesinha.

O vereador Edson Chiquini (PSD), 1º vice-presidente da Casa, declarou que compartilha das preocupações do presidente com a situação das unidades, e estendeu a cobrança não apenas para a Secretaria de Educação, mas também para a Vigilância Sanitária, para a Secretaria Adjunta de Obras.

“Eu sempre falo que eu sou a favor da volta às aulas [presenciais], mas com responsabilidade. Só para lembrar que nós vamos voltar às aulas [presenciais], e nó não podemos nos esquecer de dar qualidade para quem volta às aulas [presenciais]. E nós temos o transporte escolar que precisa ter qualidade nessa volta às aulas [presenciais]. Precisamos que a Vigilância Sanitária visite as escolas para liberar as escolas, porque não pode os diretores, como já foi falado nessa Casa, as pessoas da Educação, serem responsáveis por essa volta às aulas [presenciais], de qualquer jeito, até porque não são as pessoas mais técnicas para liberar isso. Nós temos a Secretaria [Adjunta] de Obras também, que precisa dar esse apoio nas demandas que as diretoras vêm pedindo. E nós precisamos de uma resposta rápida da Secretaria de Educação, se nós temos condições ou não para voltar às aulas [presenciais], e não podemos voltar às aulas [presenciais] de qualquer jeito. Se nós vamos voltar às aulas [presenciais], não podemos voltar de qualquer jeito. Se não temos condições, não podemos voltar às aulas [presenciais]. Não é vacinar os professores [e profissionais de educação], tem outras coisas que precisam ser feitas também para voltar às aulas [presenciais]”, avaliou Edson Chiquini.

A posição do vereador corrobora com a fala de Cesinha na defesa do requerimento, em que ele pede ao governo municipal a criação de uma força tarefa em prol de adequar às escolas públicas municipais às medidas de prevenção contra o contágio do coronavírus.

“O requerimento trata aqui de assuntos muito relevantes à retomada das aulas. Então, se não fizer uma força tarefa, e a gente sabe que todas as discussões trazidas aqui, no que se trata da Educação, a gente tem tema para discutir toda sessão 1 requerimento só. E o assunto é único. O assunto é educação pública. E a gente sabe que esse tema aqui requer muita atenção. A gente pede aos profissionais da Educação que possam estar atentos a tudo isso e que possam fazer o esforço necessário para receber todos esses alunos. E não é 1 nem 2 alunos. São 40 e poucos mil alunos dentro da sala de aula. E a gente sabe que a gente já tem aí publicadas as datas para que a gente possa vacinar os profissionais de educação. Acreditamos que todos os profissionais de educação estejam vacinados até a 1ª semana de agosto, mas a gente pede um esforço maior dos profissionais de educação. A gente, e até eu agora como presidente, não acreditei ainda que a Secretaria de Educação está altamente voltada a este tema específico”, concluiu Cesinha.

Clique Diário

E. L. Mídia Editora Ltda
CNPJ: 09.298.880/0001-07
Redação: Avenida Atlântica, 2.500, sala 22 – Cavaleiros – Macaé/RJ

cliquediario@gmail.com
(22) 2765-7353

Mais lidas da semana