Mídias Sociais

Cidades

Apesar do clima quente, Rio das Ostras entra para o cenário de cultivo da uva no Brasil

Avatar

Publicado

em

 

O agricultor Márcio Parud, dono de um sítio na zona rural de Rio das Ostras, está surpreendendo a todos ao incluir o município no cenário do cultivo da uva no Brasil. Apesar do clima quente, desfavorável ao cultivo da fruta, sua propriedade, que passou a se chamar Recanto da Uva, é responsável pela produção da uva “Niágara Rosada”, uma das mais populares nas prateleiras dos supermercados nacionais.

O sucesso tem sido tão grande que Márcio chega a colher duas toneladas da uva por ano, graças a ajuda de técnicos da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Rio de Janeiro (Emater-RJ), que orientaram com estudos sobre a qualidade da água, da fertilidade e da conservação, além da escolha da variedade adequada à região.

Quem explica o sucesso da produção do Recanto da Uva é a extensionista Cíntia Cruz, que atua no Programa Rio Rural, da Secretaria Estadual de Agricultura e Pecuária.

“Geralmente, a vegetação de cobertura das plantações de uva são baixinhas. Na Região dos Lagos, o produtor faz apenas a roçada. As plantas espontâneas, habitualmente descartadas, são reutilizadas, pois vão formar uma camada que protege e nutre a terra, garantindo mais saúde para as videiras”, contou Cíntia, ao site do jornalista Elizeu Pires.

 

Programa Rio Rural – Segundo a Secretaria de Agricultura e Pecuária do Estado do Rio, o programa tem como desafio a melhoria da qualidade de vida no campo, conciliando o aumento da renda do produtor rural com a conservação e o uso sustentável dos recursos naturais.

Para atingir este objetivo, o programa desenvolve uma estratégia de ação com as comunidades que vivem nas microbacias hidrográficas, espaços geográficos delimitados pela rede hídrica, como nascentes, córregos, rios, aquíferos etc.

O programa incentiva a adoção de sistemas produtivos sustentáveis, com técnicas mais eficientes e ambientalmente adequadas.

“Até 2018, serão investidos US$ 233 milhões em ações de desenvolvimento, beneficiando 48 mil agricultores familiares residentes em 366 microbacias de 72 municípios”, revela a secretaria.

O Rio Rural é executado pela Superintendência de Desenvolvimento Sustentável da Secretaria de Agricultura e Pecuária do Estado do Rio de Janeiro (SEAPEC), e possui financiamento do Banco Mundial e apoio da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

“As atividades do programa envolvem uma ampla rede de parceiros, que inclui entidades do poder público, ONGs, empresas e centenas de organizações rurais”, explica a secretaria.

Tunan Teixeira

Mais lidas da semana