Mídias Sociais

Política

Apenas 2 dias após liberação das aulas presenciais, Secretaria Estadual de Educação do Rio registra caso de coronavírus

Avatar

Publicado

em

 

Depois de autorizar o retorno das aulas presenciais em 8 municípios fluminenses desde a última segunda-feira, 19, a Secretaria Estadual de Educação informou a confirmação de 1 caso de coronavírus e mais 4 pessoas com sintomas da doença.

As informações foram divulgadas em nota da pasta nesta quinta-feira, 22, mas são referentes à manhã do dia anterior, ou seja, apenas 3 dias depois da autorização do retorno das aulas presenciais no Estado do Rio.

De acordo com a nota, na manhã da última quarta-feira, 21, um diretor-adjunto do Colégio Estadual Professora Maria Terezinha de Carvalho Machado, em Jacarepaguá, na capital fluminense, testou positivo para o coronavírus, e outros 4 funcionários afirmaram apresentar sintomas.

Segundo o comunicado da pasta, os 4 funcionários foram encaminhados para a Clínica da Família Dr. Mário Pires da Silva, no Campinho, bairro próximo à Jacarepaguá, atendendo aos protocolos sanitários previstos pelo governo estadual.

Na unidade, os 4 funcionários passaram por avaliação médica, fazendo testes e passando a ser monitoradas por 14 dias, conforme protocolos das entidades da área de Saúde nacionais e internacionais. No mesmo dia, a unidade suspendeu as atividades no turno da noite.

Nesta quinta-feira, 22, no dia seguinte ao 1º caso após o retorno das aulas presenciais, a escola suspendeu as atividades e passou por novo processo de sanitização, seguindo sem aulas presenciais nesta sexta-feira, 23, mas aberta para a entrega de material didático e kit alimentação para os estudantes.

“A Secretaria [Estadual] de Educação reafirma seu compromisso com a saúde de seus profissionais e alunos, seguindo em constante contato com as unidades escolares, acompanhando e fiscalizando os protocolos sanitários para tomar rápidas medidas que resguardem a segurança de todos”, concluiu a pasta.

Inicialmente a lista da Secretaria Estadual de Educação do Rio de Janeiro tinha 16 municípios autorizados a retornar com as aulas presenciais a partir da última segunda-feira, mas a lista foi sendo reduzida nos dias seguintes, chegando a apenas 8 cidades ainda na terça-feira, 20.

Entre as cidades da região retiradas da lista, estavam Macaé, Carapebus e São Pedro da Aldeia, mas as cidades do Norte Fluminense foram retiradas da lista ainda na segunda-feira, devido à região voltar à bandeira laranja, de risco moderado.

Na terça-feira, em entrevista coletiva virtual, o Prefeito de Macaé, Dr. Aluízio (PSDB), rechaçou qualquer possibilidade de retorno das aulas, assim como qualquer ampliação das flexibilizações das medidas de prevenção ao contágio do coronavírus, devido ao aumento da taxa de reprodução do vírus na cidade para 0,98.

“O grande indicador é a queda. O principal risco é o de morte e antes dele, a taxa de ocupação hospitalar, o que devemos evitar o tempo todo. A flexibilização precisa ter o olhar do cuidado, deve ser acompanhada e deve colocar a cidade em segurança, por isso a gente precisa ir entendendo e ampliar ou não as atividades”, avaliou Dr. Aluízio, que completou reforçando que “quando há aglomeração e pessoas sem máscara, o vírus prolifera, ataca e causa novos casos. Permanecemos na faixa verde, mas enquanto tiver tendência de aumento de casos, não vamos flexibilizar mais nada”.

Mais lidas da semana