Mídias Sociais

Polícia

Sexto suspeito de torturar e matar homem em Araruama é preso durante operação "Olho por Olho" da Polícia Civil

Publicado

em

 

Gilson da Costa Ramalho, o Gilsinho, foi preso na casa da namorada na localidade conhecida como Monteiro, no distrito de São Vicente de Paula

 
Bertha Muniz

 
Foi preso nesta terça-feira (27) o sexto suspeito de matar um homem em Araruama, na Região dos Lagos. Contra ele havia um mandado de prisão preventiva por homicídio triplamente qualificado. Gilson da Costa Ramalho, o Gilsinho ,foi preso na casa da namorada na localidade conhecida como Monteiro, no distrito de São Vicente de Paula, em Araruama, após denúncia.
O crime ocorreu no dia 15 de maio deste ano. De acordo com a Polícia Civil, a vítima, Wallace da Silva Mota, atuava no tráfico e morava no Loteamento Santo Antônio, distrito de São Vicente de Paula, em Araruama. Wallace teria sido levado para um matagal e torturado por aproximadamente 30 minutos por outros traficantes de drogas da localidade.

A motivação do crime seria uma dívida de Wallace com a boca de fumo. De acordo com as investigações da polícia, ele teria subtraído uma carga de entorpecentes da própria boca de fumo em que atuava.O homem apontado pela Operação "Olho por Olho" como mandante do crime cometido no dia 15 de maio de 2017 ainda está foragido.

A polícia afirma que a ordem para as agressões que resultaram na morte de Wallace teriam partido de Rafael Santos da Costa, vulgo Chapoca, apontado como líder da boca de fumo local e ponte entre os narcotráficos da Favela da Reta Velha, em Itaboraí, e do Loteamento Santo Antônio, em Araruama.

A determinação de Rafael Chapoca teria sido executada por Gilson da Costa Ramalho, vulgo Gilsinho; Ronald Braga Vieira, vulgo Rony; Jhonny Marcos Braga Vieira, vulgo Macarrão; Rafael Wagner Silveira Gomes, vulgo Rato; Jefferson Luis Machado de Figueiredo, vulgo Jeffinho e Kennedy Conrado de Andrade Souza, apontados como demais integrantes da boca de fumo.
Rafael Santos da Costa, o Rafael Chapoca, encontra-se foragidos. Quem souber de seus paradeiros poderá denunciar à 118ª DP (Araruama) pelo WhatsApp –  (22) 99888-2667. O anonimato é garantido.A delegada titular da Delegacia de Araruama, Janaina Peregrino, ressalta o sucesso da operação, que foi uma pronta e efetiva resposta a um crime que causou grande comoção na população local. Janaina destaca que a integração entre as Polícias Civil e Militar, contribuiu para o êxito das diligências e identificação dos autores e seus possíveis paradeiros.

Mais lidas da semana