Mídias Sociais

Destaque

Empresário relata ter sido furtado pelos Correios em Cabo Frio

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Homem recebeu o envelope e percebeu que o mesmo havia sido violado e estava vazio. 

Um empresário de Cabo Frio, na Região dos Lagos, se surpreendeu ao receber mercadorias, na última quarta-feira (25),  na agência dos Correios do Largo Santo Antônio. Ao pegar o envelope, Carlos Daniel Gomes notou que o mesmo havia sido violado e estava vazio.

Carlos tem um e-commerce que funciona no Portinho e depende exclusivamente do serviço dos Correios para a logística do negócio. No envelope violado, tinham jóias enviadas pelo fornecedor do empresário. Ele relata que o prejuízo foi de R$1.800.

Ao notar a violação, "provavelmente causada por um estilete", o empresário recusou o recebimento do produto e procurou o gerente da agência, que abriu uma sindicância interna para apuração do fato. "A carga não tinha seguro, mas foi totalmente roubada dentro dos Correios", conta.

Este não é o primeiro problema de Carlos Daniel com a agência. O empresário afirma que antes do furto já teve problemas com entregas, tanto pela demora, quanto pelo fato delas nunca serem entregues corretamente.

"A gente precisa resolver a nossa situação em relação aos correios da nossa região. Constantemente tenho que ir a São Cristóvão, no Centro de Distribuição dos Correios, para tentar tirar mercadoria e me deparo com uma fila imensa de pessoas aguardando para receber objetos, porque os Correios simplesmente dizem que não tem ninguém em casa ou não entregam o objeto no endereço da pessoa", conta o empresário.

A demora da entrega, mesmo utilizando o Sedex em períodos sem greve, e o horário de funcionamento do centro de distribuição também são alvos de reclamações por parte do vendedor de jóias. "O ponto de distribuição só funciona de 13h às 15h e antes desse furto das mercadorias tive outro Sedex, que geralmente demora cinco dias pra chegar, demorou 25. Sedex que estou enviando com prazo de três dias, está chegando com 12 dias. Isso precisa ser resolvido porque todo mundo, direta ou indiretamente, depende dos Correios", completa Carlos.

Através de nota, a empresa esclareceu que o objeto foi encaminhado para a caixa postal do cliente na agência de Cabo Frio e, devido ao objeto apresentar indício de violação, a agência fez um auto de irregularidade, que está sendo apurado.

Ainda de acordo com os Correios, quando o objeto não é recebido pelo destinatário, é devolvido ao remetente. Nesse caso, como Carlos recusou o recebimento por conta da violação, o proprietário do objeto postal continua sendo o remetente "e é este cliente remetente que deve abrir um pedido de informação no site dos Correios e registrar a situação, pois a ele caberá receber a indenização, se for o caso".

*Com informações do RC24H

Mais lidas da semana