Mídias Sociais

Polícia

Câmara de Macaé volta a questionar número de policiais civis e militares na cidade

Avatar

Publicado

em

 

Requerimento do vereador Maxwell Vaz pede dados do governo do estado sobre legislação que regula o efetivo policial

Tunan Teixeira

 

Depois de solicitar o aumento do efetivo de policiais civis na 123ª Delegacia de Polícia (123ª DP), em sessão extraordinária da última segunda-feira, 27, a Câmara Municipal de Macaé voltou a debater a questão da segurança pública na sessão desta quarta-feira, 29.

O autor do novo requerimento foi o vereador Maxwell Vaz (SD), que pediu ao Governo do Estado do Rio informações cobre o cumprimento da legislação que regulamenta a divisão do efetivo pelas delegacias e batalhões do estado.

“Quando o vereador Neto (Macaé, PTC) fez o requerimento sobre isso, eu estava em reunião com o deputado Christino Áureo (PSD), atual Secretário Estadual da Casa Civil, discutindo essas e outras questões referentes à nossa cidade. O que eu solicito através do presente requerimento são informações sobre como está sendo feito esse ordenamento, que, pela legislação deve ser feito pelo número de ocorrências, no caso da Polícia Civil, e pelo número de habitantes, no caso da Polícia Militar. Está sendo cumprida a legislação? É isso que a gente precisa saber”, disse Maxwell.

O tema foi amplamente discutido pelos parlamentares, que aprovaram o requerimento por unanimidade dos votos dos 14 vereadores presentes à sessão desta quarta, já que a vereadora Renata Paes (PSC), precisou se ausentar durante a sessão devido à gravidez, e o vereador Alan Mansur (PRB) não compareceu à plenária esta semana.

Autor do requerimento citado por Maxwell, o vereador Neto Macaé lembrou novamente o baixo efetivo e a situação precária em que se encontram os policiais civis da 123ª DP, que segundo informações dos vereadores, está sem condições de infraestrutura, com falta de papel, papel higiênico e material de limpeza, entre outros.

“Hoje, se você for à 123ª DP para fazer uma ocorrência, você vai esperar em média duas horas para fazer o registro. A delegacia só conta com 31 servidores, e, o que é mais preocupante ainda, desses 31, 11 estão pedindo a aposentadoria. E aí, como vai ficar? E além da questão as pessoas, tem a questão dos materiais, que falta tudo para os policiais trabalhares”, revelou Neto.

Foto: Igor Faria

Mais lidas da semana