Mídias Sociais

Polícia

Acusada de cobrar R$ 2 mil por falsos cargos no Tribunal Federal de São Pedro da Aldeia é presa pela Polícia Civil

Publicado

em

 

Andreia de Paula Milhomem foi presa na última sexta-feira (27). Sua comparsa, Andréa Rosângela Marques Pinto, se passava por juíza e segue foragida.

A Polícia Civil realizou a prisão de Andreia de Paula Milhomem Amaral, acusada de cobrar R$ 2 mil em troca de cargos comissionados, que não existiam, no Tribunal Federal de São Pedro da Aldeia, na última sexta-feira (27).

Segundo as investigações da 126ª Delegacia Policial de Cabo Frio (126ª DP), pelo menos 11 pessoas teriam caído no golpe de Andreia. Acusada por estelionato, Ana aplicava seus golpes junto a outra mulher, identificada como Andréa Rosângela Marques Pinto, que fingia ser juíza. Andréa segue foragida.

Segundo a Polícia Civil, a maioria das vítimas era funcionária de uma loja no Centro de Cabo Frio, onde Andreia chegou a trabalhar como gerente. Familiares de funcionários da loja e vizinhos, também caíram no golpe, somando um prejuízo avaliado em R$ 22 mil.

Para ludibriar as vítimas, Andreia Milhomem afirmava que Andréa Rosângela, a falsa juíza, assumiria o cargo no Tribunal Federal de São Pedro da Aldeia. O dinheiro era cobrado com o pretexto de ser uma taxa de adesão porque ela precisava de pessoas de confiança para ocuparem cargos, como o de técnico judiciário e de motorista.

Andréa Rosângela é apontada pela polícia como uma golpista conhecida nacionalmente. Ela já foi presa anteriormente por estelionato após aplicar um golpe de R$ 20 milhões contra fiéis de uma igreja evangélica em cinco estados (RS, RJ, SP, SC, MS e DF) e no Distrito Federal.

*Com informações do RC/24H

Foto: RC/24H

Mais lidas da semana