Mídias Sociais

Esporte

Tribunal de Justiça do Rio anula votação presencial em São Januário para definir novo presidente

Publicado

em

 

Não é só dentro de campo que o Vasco vive dias conturbados. Nos bastidores, o clima também é recheado de tensão. A prova disso é que o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro decidiu nesta quinta-feira (17) anular a votação realizada no dia 7 de novembro para definir o novo presidente do clube.

O Tribunal entendeu que a votação presencial realizada em São Januário não teve validade. Nela, o candidato mais votado havia sido Leven Siano. Com a decisão, passa a valer agora a votação online, realizada no dia 14 de novembro. Nesta, o mais votado foi Jorge Salgado. Embora aceite recurso, a decisão desta quinta dificilmente será modificada ainda este ano. Isso porque o recesso judiciário começa no dia 20 de dezembro. Dessa forma, qualquer recurso só será julgado a partir do dia 6 de janeiro. A posse do novo presidente do Vasco está prevista para 20 de janeiro.

Na semana passada, o candidato Leven Siano havia entrado em contato com Jorge Salgado o convidando a aceitar a decisão que será tomada pelo TJ-RJ. Só que o candidato da Mais Vasco não concordou. Ele pediu a Leven para retirar todas as ações judiciais e sugeriu a realização de uma nova eleição. Dessa vez foi Leven quem não concordou, dando início ao impasse.

O julgamento desta quinta foi realizado de forma virtual, mas os advogados de Jorge Salgado e Leven Siano acompanharam a sessão. Em nenhum momento foi permitido nenhum tipo de contestação. O presidente da Assembleia Geral, Faués Jassus, o Mussa, o presidente do Conselho Deliberativo, Roberto Monteiro, e o presidente Alexandre Campello também tiveram o direito de acompanhar o julgamento.

Apesar da decisão, pessoas ligadas a Jorge Salgado agora aguardam a posição de Leven Siano para definir os próximos passos.

Foto: Rafael Ribeiro

 

Mais lidas da semana