Mídias Sociais

Esporte

Sillas Andrade dribla obstáculos e fatura o lugar mais alto do pódio da Copa Brasil de BMX

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

Se antes o macaense Sillas Andrade era considerado um jovem promissor no BMX, hoje ele já é uma realidade. E os inúmeros títulos na carreira comprovam isso. O último deles foi conquistado no fim de semana passado, quando a ferinha subiu ao lugar mais alto do pódio na 2ª etapa da Copa Brasil de BMX, disputada em Londrina, no Paraná.

A Copa Brasil de BMX é considerada uma das provas mais difíceis do país. Além de contar pontos para o ranking nacional, ela sempre traz atletas de altíssimo nível. Mas Sillas está para lá de acostumado a desafios. Tendo superado um problema de saúde ainda muito jovem e também uma cirurgia em uma das vistas, ele deixou para trás também todos os adversários da categoria boys 13 anos.

O cansaço da viagem foi um dos desafios enfrentados por Sillas na prova. Mas os obstáculos na vida de um atleta vão muito além das condições físicas. Como se não bastasse o alto nível dos adversários, por vezes até mais bem preparados, Sillas precisou driblar também a dificuldade financeira. Sem recursos, ele quase ficou de fora da Copa Brasil. Não atoa foi o único representante macaense na competição.

O atleta chegou a dormir no próprio aeroporto antes do embarque por falta de recursos. Um relato que traduz e exemplifica as dificuldades enfrentadas pelos esportistas em nosso país. A lição que fica é que mais que talento, é preciso muita dedicação e força de vontade para competir. Uma frase lida em um livro serve de motivação para o pequeno guerreiro: “a mente alcança o que o corpo acredita”. E foi assim que ele superou todas as adversidades e conquistou mais um título na carreira.

“Corri várias agências pedindo descontos na passagem. E o seu Ronaldo, da Ecológica Turismo, teve um gesto nobre de solidariedade ao doar a passagem para o Sillas. Dei uma entrada na minha, mas ainda assim estava faltando uma quantia. Foi quando alguns dias depois ele disse que um anjo passou na agência e quitou a passagem. Outros nos ajudaram com a alimentação. Ficamos hospedados em uma casa de amigos da próprio bicicross lá em Londrina, o que mostra que o BMX é uma família. Gostaria de agradecer também a Associação Macaense de Bicicross, ao Eduardo Jandre e o Daniel, a Seven Esporte, o Vinícius da Essencial Fit e todos os apoiadores”, contou Jane, a mãe de Sillas.

“Gostaríamos de deixar um agradecimento especial também a Street Dog, ao Colégio Reino Ceia, a nutricionista Ludmila Candeco, Farmácia Água Viva, Merrel Corretora de Seguros e a Academia Iupi Infantil”, finalizou Jane.

Foto: divulgação 

 

Mais lidas do mês