Mídias Sociais

Esporte

Rogério Ceni ganha mais problemas para escalar o Flamengo diante do São Paulo

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

O Flamengo ainda busca se reorganizar após a saída de Domènec Torrent. Desde a chegada de Rogério Ceni o time ainda não conseguiu vencer. Foram dois jogos, com uma derrota e um empate. Esse último diante do Atlético-GO no último sábado por 1 a 1 no Maracanã. Ao contrário do que aconteceu na Copa do Brasil, agora pelo Brasileiro o time não conseguiu um bom desempenho, ligando o sinal de alerta para o mata-mata.

A estreia diante do São Paulo foi animadora. Com um futebol mais agressivo, o Flamengo deu sinais de que poderia recuperar o bom futebol do ano passado, quando era comandado por Jorge Jesus. Só que contra o Atlético-GO foi o contrário. O time não apresentou um bom futebol e deixou sua torcida apreensiva para o duelo da volta da Copa do Brasil nesta quarta-feira.
Como perdeu na ida por 2 a 1, o Flamengo precisará vencer por dois gols de diferença no Morumbi para avançar na Copa do Brasil. Vitória por um gol irá levar a decisão para os pênaltis. O São Paulo joga por um empate simples para avançar. Cabe lembrar que a competição não conta mais com o gol fora de casa como critério de desempate.

Além de ter que reverter a vantagem do rival, o Rogério Ceni ganhou mais problemas para armar a equipe. O treinador não sabe se poderá contar com Gabigol, Thiago Maia e Pedro. Os três vivem problemas com lesões e serão reavaliados momentos antes da partida. Para piorar, será preciso avaliar também as situações de Everton Ribeiro e Isla, que estão a serviço de suas seleções pelas Eliminatórias.

A contrapartida é a volta de Diego Alves. Preservado diante do Atlético-GO, o goleiro deverá voltar ao time titular contra o São Paulo no lugar de Hugo. Outro ponto positivo é que Arrascaeta deverá começar entre os titulares. Mesmo sem estar nas condições ideiais, o jogador é visto como peça fundamental para o meio-campo da equipe em um momento decisivo como o mata-mata. Uma alternativa seria escalá-lo mais centralizado, exigindo assim um pouco menos de sua parte física.

"O elenco tem caras ótimos de se trabalhar. Mas está fisicamente bastante cansado e com bastante lesões e desfalques, o que dificulta", avaliou Rogério Ceni.

Foto: Alexandre Vidal

Mais lidas da semana