Mídias Sociais

Esporte

Odair Hellmann comenta eliminação precoce do Fluminense na Sul-Americana

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

A eliminação do Fluminense ainda na primeira fase da Copa Sul-Americana pegou muita gente de surpresa. O Tricolor das Laranjeiras não passou de um empate por 0 a 0 com o Unión La Calera no Chile no jogo de volta, disputado na última terça. Como havia empatado por 1 a 1 no Maracanã, a equipe carioca foi eliminada nos critérios de desempate por ter levado um gol em casa.
Após sacramentada a eliminação, Odair Hellmann veio a público comentar os confrontos com o time chileno. Na coletiva de imprensa, o treinador lamentou o resultado e afirmou que o time precisa melhorar alguns fundamentos para ser mais decisivo na sequência da temporada.

"No confronto de 180 minutos, infelizmente não conseguimos a classificação. Mas acho que produzimos, tanto no Maracanã quanto aqui, um jogo melhor, mais situações de gol, mais chances criadas, mais posse de bola, mais número de passes… A situação do gol fora... Bola na rede que define. E não conseguimos fazer o gol fora de casa. Produzimos até para fazer. Tivemos poucas finalizações, é verdade - analisou Odair, para completar:

"No 2º tempo tivemos total domínio. Ficamos o tempo todo com a bola. Mas na última parte do campo precisamos evoluir, vamos evoluir, temos que evoluir, para criar um maior número de oportunidades de gol, principalmente quando você joga contra uma equipe com uma defesa muito fechada, muito forte, e que usa essa bola longa para escapar do contra-ataque, que dificulta. Nesse momento, desclassificados, é complicado falar, mas merecíamos situação melhor pelos dois confrontos que tivemos. Mas o futebol não tem essa situação de justiça. Tem que botar a bola para dentro", explicou Odair.

Odair disse também que o time precisa ser mais contundente. "Precisamos melhorar ao enfrentarmos adversários que baixam a linha de marcação. Precisamos ter o domínio, ter a posse, mas precisamos ser mais contuntentes, mais definidores, incomodar mais o goleiro adversário. Criamos três ou quatro situações perigosas, de chance de gol. Mas com esse volume de passe e posse, precisamos criar mais, para incomodar mais. Porque, senão o time adversário vai se sentindo confortável dentro do confronto e foi o que aconteceu. Eles não produziram nada o tempo inteiro, só uma bola longa aos 40 do 2º tempo. No Maracanã faltou nos impor, para que pudéssemos trazer um placar de vantagem para trazer o jogo para o desconforto deles. Foi o que não aconteceu", encerrou o treinador do Fluminense.

Foto: Lucas Merçon

Mais lidas da semana