Mídias Sociais

Esporte

MMA “invade” Macaé e já é um dos esportes com mais adeptos no município

Avatar

Publicado

em

 

Já dizia o ditado: “o MMA é o esporte que mais cresce no mundo”. Cada vez conquistando mais adeptos no Brasil e no mundo, as Artes Marciais Mistas “invadiram” também Macaé. Prova disso foi o grande sucesso do X Force, evento promovido no último dia 18 de junho e que fez o Juquinha ficar “pequeno”.

O MMA chega para ficar e vem tomando cada vez mais espaço. Impulsionado pelo sucesso do UFC, a modalidade invadiu a casa de brasileiros e também de macaenses. Hoje se faz presentes nas rodas de conversas em bares, academias, praças públicas, entre outros. Parte desse sucesso se deve ao X Force que trouxe em sua luta principal o combate entre as feras Max Alves e Gabriel de Oliveira.

“O MMA vem crescendo e abrindo novas portas. Está ganhando cada vez mais espaço. É um sonho viver da luta, se manter através dela, e agora isso já começa a se tornar uma realidade”, afirmou Gabriel de Oliveira, que venceu Max Alves no evento e tomou o cinturão da organização na categoria até 66 quilos.

Max Alves compartilhou da opinião de seu adversário, mas fez algumas ressalvas. “O MMA vem crescendo no mundo inteiro e agora começamos a ter eventos também em Macaé, o que é bastante positivo. No entanto, acho que ainda precisávamos expandir a modalidade e trazer mais eventos regionais. Sabemos que existe manipulação de resultados e corrupção nesse esporte e os regionais ajudariam a diminuir um pouco isso”, frisou.

Na semana que antecedeu o grande combate, os lutadores trocaram provocações nas redes sociais, o que acabou gerando grande repercussão e, claro, ajudou bastante na divulgação da luta. A rivalidade existe, mas o respeito entre as partes permanece acima de tudo.

“Conheço o Max há muitos anos e tenho muito respeito por ele. Já treinamos juntos. Sei onde posso chegar e das minhas qualidades. Aconteceu de termos de lutar. As provocações foram para promover a luta. Ele é um grande atleta, foi um adversário muito duro e o respeito por ele continua o mesmo”, explicou Gabriel de Oliveira.

O respeito entre as partes é reciproco. “Tenho ele como um grande parceiro. O conheci ainda garoto. Surgiu a possibilidade e ele me desafiou. Confesso que não entendi muito. Temos no MMA de não lutar com amigos, mas entendo que faz parte do esporte. A amizade acabou no momento em que cada um estava defendendo o seu, mas não tenho nada contra ele” enfatizou Max Alves.

A luta rapidamente se tornou um dos assuntos mais comentados na cidade e desde então, uma pergunta se faz presente na cabeça dos fãs: haverá uma revanche? Com a palavra, os lutadores. “Ainda não defini (meu próximo adversário). Mas estou aberto para lutar com qualquer um. Não escolho adversário. Se tiver que acontecer, vamos lutar de novo”, ponderou Gabriel.

“Estou em contato para lutar em alguns eventos. A revanche pode acontecer. Acredito até que ela aconteça comigo defendendo novamente o cinturão contra ele”, afirmou Max, lembrando que não concordou com o resultado da luta. Na ocasião, os juízes deram a vitória para Gabriel por decisão unânime, o que acabou dividindo a opinião do público presente.

Sérgio Barcellos

Foto: Jana Aguiar

Mais lidas da semana