Mídias Sociais

Esporte

Gabriel de Oliveira conhece sua primeira derrota na carreira lutando no Japão

Avatar

Publicado

em

 

Gabriel de Oliveira conheceu a sua primeira derrota da carreira no MMA. Lutando pelo Rizin Fighting Word Grand Prix 2017, no último final de semana no Japão, o lutador caiu nas quartas de final do evento para o japonês Kyoji Horiguchi, que acabou levando o título do GP ao bater Shintaro Ishiwatari na grande final. Com o revés, Gabriel ficou com um cartel de 10 vitórias e uma derrota em 11 lutas.

Gabriel de Oliveira não perdeu para qualquer adversário. Kyoji Horiguchi é hoje um dos principais lutadores da categoria peso-mosca no mundo. O japonês tem um cartel de 23 vitórias e apenas duas derrotas em 25 lutas. A última vez que foi derrotado foi em abril de 2015, quando perdeu para Demetrious Johnson, no evento principal do UFC. Detalhe: Demetrious é considerado o lutador número um da atualidade no ranking peso por peso do UFC. No Ultimate, Horiguchi fez 8 lutas, com 7 vitórias e apenas uma derrota (justamente para Demetrious Johnson.

Contra Gabriel de Oliveira, Horiguchi mostrou todo o seu repertório. A velocidade do japonês impressiona para a categoria e foi um dos fatores que contribuíram para vitória. A luta terminou com um nocaute no primeiro round.

“Sem dúvidas que a velocidade dele foi uma parte do jogo que me surpreendeu um pouco. Também sou um cara rápido, embora maior que meu adversário e mais forte, também sei lidar contra oponentes muito velozes. O que me surpreendeu mais foi que o Horiguchi mudava muito de ritmo. Ele fingia que ia, mas não ia. E quando eu achava que não iria, ele vinha para cima. Isso me complicou bastante”, comentou Gabriel de Oliveira.

Horiguchi também abusou da guarda baixa, o que acabou dificultando o jogo de Gabriel. “A guarda baixa atrapalha um pouco porque tira a visão de onde o soco vai estar vindo. Ele consegue golpear mais rápido e de uma forma menos telegrafada. Mas o que resultou na minha derrota foram vários pequenos erros técnicos que cometi durante a luta. E ele como um grande lutador que é soube aproveitar essas falhas”, explicou Gabriel.

Os erros técnicos já foram identificados por Gabriel, que vai trabalhar duro para corrigi-los em seu próximo combate, ainda sem data marcada. “Vou estar de volta mais forte do que nunca. Na próxima a galera pode esperar uma apresentação muito melhor. Essa luta com certeza me deu muito experiência e confiança para as próximas”, afirmou.

“Gostaria de agradecer a todas as empresas colaboradoras e em especial aos patrocinadores Fornearia Giorgio, Vidacor Centro Cardiológico, Equipe Atlética Academia e Detroit Stealhouse Macaé”, finalizou o atleta.

Sérgio Barcellos 

Foto Getty Images 

Mais lidas da semana