Mídias Sociais

Esporte

Gabigol fala sobre chance de título e banco de reserva no Flamengo

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

O Flamengo vive um momento conturbado na temporada. Sem vencer há três jogos, o Rubro-Negro vê o título um pouco mais distante. Mesmo assim, o elenco evitar jogar a toalha e mantém o otimismo com a possibilidade de ser novamente campeão nacional. O atacante Gabigol foi o escolhido para a coletiva de imprensa desta sexta-feira onde falou sobre a pressão por resultados no clube.

"Pressão vai ter. É Flamengo. Mas quem não gosta de pressão? Às vezes eu joguei em times que jogavam para empatar. No Flamengo você quer vencer todos os jogos, e isso é a melhor coisa. O Rogério (Ceni) sabe disso e sabe lidar muito bem com isso. O que temos que fazer? Vencer os jogos, simples assim. E quem sabe lá na última rodada a gente se sagra campeão", disse o jogador.

O camisa 9 disse também que a temporada atual é sempre comparada com a passada e que isso atrapalha um pouco. No fim, ele reforça o pensamento de seguir acreditando no título ao lembrar o que aconteceu contra o River Plate na final da Libertadores passada.

"Comparar com o Flamengo de 2019 é injusto com qualquer time no Brasil. Porque o que aconteceu é muito difícil de acontecer de novo. É o mesmo time, temos o mesmo potencial, mas são tempos diferentes. Temos outro treinador, alguns jogadores diferentes, e jogadores que são marcados diferentes, como eu e Bruno. Em 2020 fomos campeões de algumas coisas. Sim, perdemos Copa do Brasil e Libertadores, o que não queríamos, mas estamos na briga pelo Brasileiro, que somos atuais campeões. Como um time que venceu a Libertadores faltando três minutos vai desistir faltando dez jogos para o fim do campeonato?", questionou Gabigol.

O atacante falou também sobre a disputa por uma posição entre os titulares. O jogador admitiu certo incômodo com o banco de reservas.

"Não quero estar no banco. Ninguém quer. Ou você acha que o Pedro quando estava (no banco) ficava feliz? Ou que o Michael quando não entra fica feliz. Na Europa é normal isso acontecer, de o jogador não usar a camisa no banco. Fiquei sem a chuteira pois tive uma lesão grave no tornozelo e incomoda um pouco. Não tem nenhum problema com isso. Vão falar pois dá ibope. Creio eu que independentemente de como eu ficasse, iria sair matéria", encerrou o jogador.

O Flamengo volta a campo pelo Campeonato Brasileiro na segunda-feira, quando terá pela frente o Goiás, na Serrinha.

Foto: Alexandre Vidal

Mais lidas da semana