Mídias Sociais

Esporte

Flamengo vive início de semana agitado nos bastidores

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

O Flamengo vive um início de semana agitado nos bastidores. Trabalhando em várias frentes, o Rubro-Negro se tornou também protagonista no mercado de transferências neste início de 2020. Até aqui, o Rubro-Negro já fechou com quatro reforços e o número ainda pode aumentar.

Nesta terça-feira (14), o atacante Michael se apresentou ao clube. Eleito o jogador revelação do último Campeonato Brasileiro, ele foi submetido a exames médicos antes de ser oficialmente apresentado. Além dele, o Flamengo já havia anunciado o zagueiro Gustavo Henrique, o também atacante Pedro Rocha. O volante Thiago Maia está por detalhes, mas nos bastidores o acordo é dado como certo.

Segundo informações, o Flamengo chegou a um acerto com o Lille, da França, por Thiago Maia. O volante embarcou para o Brasil nesta terça-feira e a expectativa é que seja oficialmente anunciado ainda esta semana. Após passar por exames médicos, ele deve assinar contrato de empréstimo até o fim da temporada, com opção de compra fixada em cerca de 30 milhões de reais.

E mesmo com uma ação mais tímida no mercado se compararmos com a temporada passada, o Flamengo pode anunciar mais um reforço nos próximos dias. Trata-se do atacante Pedro, hoje jogador do Fiorentina, da Itália. O jogador já foi alvo do Rubro-Negro em 2019, mas na ocasião, acabou não acertando por conta do Fluminense, que não aceitou liberá-lo ao rival.

A história agora é diferente. Pedro não é mais ligado ao Fluminense, o que facilita um pouco o caminho para o Flamengo. O jogador já manifestou o interesse em vestir a camisa do Rubro-Negro. A intenção do Fla é de conseguir um empréstimo, com valor de compra fixado ao fim do acordo, em negociação muito semelhante ao modelo utilizado com Thiago Maia. Por conta da negociação com o clube carioca, o Fiorentina chegou a retirar Pedro da última partida do clube. O empresário Marcio Giugni está representando o atleta e viajou nesta terça para a Itália, na tentativa de acelerar a liberação.

Foto: Alexandre Vidal

Mais lidas da semana