Mídias Sociais

Esporte

Flamengo faz as contas e projeta número mágico para a conquista do título

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

O Flamengo viu diminuir suas chances de conquistar o título do Campeonato Brasileiro com o empate diante do Palmeiras. Com sete rodadas a serem disputadas e precisando tirar uma diferença de quatro pontos, o Rubro-Negro começa a fazer as contas do que é preciso para faturar o caneco ao fim do ano. O número mágico é 80 pontos, ou mais claramente, 7 vitórias nos últimos 7 jogos, segundo cálculos do lateral René.

“Sabemos que nesses sete jogos não podemos mais vacilar. Ficou um pouco mais difícil depois desse empate, mas começamos a semana forte. Precisamos voltar a vencer para sonhar com o título. Vai ser um jogo difícil. Temos que vencer todos e vamos fazer um grande jogo”, afirmou Renê lembrando do importante duelo contra o São Paulo na rodada deste final de semana.

Ainda restam 21 pontos em disputa. Se de fato vencer seus últimos sete jogos, o Flamengo chegaria aos 80 pontos. Com essa projeção, o Rubro-Negro teria que torcer aos menos por duas derrotas do Palmeiras, ou no mínimo, uma derrota e um empate nos jogos finais. Neste cenário, o Alviverde chegaria no máximo aos 79 pontos.

Na reta final do Campeonato Brasileiro, o Flamengo terá os seguintes confrontos: São Paulo (F), Botafogo (F), Santos (C), Sport (F), Grêmio (C), Cruzeiro (F) e Atlético-PR (C). A contar pelo momento vivido pelas equipes, os jogos mais complicados para o Rubro-Negro nesta sequência seriam São Paulo, Grêmio e Cruzeiro.  O time ainda teria pela frente o Santos que vive grande fase e o clássico com o Botafogo, dois jogos difíceis, mas perfeitamente possíveis de serem vencidos.

A arrancada ou não para o título será o duelo contra o São Paulo. O Tricolor venceu na última rodada após um longo jejum e voltou a sonhar com um algo a mais na temporada. Apesar da chance remota de título, os paulistas podem assumir a terceira posição do torneio em caso de vitória, se igualando em pontos com o Flamengo, mas ficando atrás pelo número de vitórias (17 contra 16).

Foto: Gilvan de Souza


 

Mais lidas do mês