Mídias Sociais

Esporte

Flamengo evita euforia e prega pés no chão após goleada na Libertadores

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

Após um período de instabilidade e também de adaptação ao novo comandante, o Flamengo parece retomar o bom futebol. Na noite da última quarta, o Rubro-Negro voltou a ser envolvente e teve grande atuação na goleada por 4 a 0 diante do Indepediente del Valle. A vitória garantiu a classificação antecipada para as oitavas de final da Libertadores e também deixou o time na liderança do Grupo A.

Após a partida, o auxiliar Jordi Guerrero comemorou bastante o resultado. O profissional reforçou mais uma vez o discurso adotado por Domènec, de que é preciso tempo para fazer o time assimilar melhor as novas ideias, mas também disse acreditar que a equipe está no caminho certo.

"Futebol é futebol. Acredito que seja muito importante para o Flamengo já se classificar para as oitavas, fazer boas partidas e pensar em recuperar jogadores. Estamos bem no estilo de jogo e pouco a pouco estamos melhorando a cada dia. Necessitamos de tempo e confiança", destacou Jordi na coletiva logo após partida.

Jordi lembrou também a importância da vitória a essa altura da temporada. "Um resultado que ajuda a todos: grupo de jogadores, diretoria, comissão técnica, médicos... Estamos todos no mesmo caminho para a equipe seguir adiante", disse Guerrero.

De uma forma resumida, ele falou também sobre o que espera com relação a postura da equipe dentro de campo. "Basicamente, nós queremos que o time seja forte sempre e enfrente todas as adversidades. Está sendo assim desde o Equador. Nunca tivemos dúvida de que o Flamengo vai competir em todas as partidas", encerrou Jordi.

Com a situação encaminhada na Libertadores, o Flamengo agora volta suas atenções para o Campeonato Brasileiro. No próximo domingo (4), o Rubro-Negro terá pela frente o Athlético-PR, às 16 horas no Maracanã. Na sexta posição na tabela de classificação, o time busca mais um resultado positivo em casa para diminuir a diferença para o líder Atlético-MG, que hoje é de seis pontos.

Foto: Alexandre Vidal

Mais lidas da semana