Mídias Sociais

Esporte

Flamengo aciona na Justiça jogador negligência e enriquecimento ilícito

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

A relação que já não era das melhores nos últimos meses deve ficar ainda pior. Isso porque o Flamengo acionou na Justiça o atacante Paolo Guerrero por neglicência e enriquecimento ilícito. O Rubro-Negro espera receber no processo uma indenização pelo tempo que o peruano ficou recebendo salários sem entrar em campo, por conta da suspensão imposta pela Fifa por doping.

Segundo informações, o Flamengo espera receber com a ação o valor correspondente a R$ 1.809,090,15 como indenização. A quantia é referente aos 121 dias em que o atacante não pôde entrar em campo em razão da suspensão da Fifa. Além desse valor, seria ainda acrescentada uma correção monetária da data da última parcela paga até a presente data, a ser acrescido de juros moratórios a partir da citação. Vale lembrar que o montante pelo período de contrato foi de R$ 16 milhões.

Como justificativa para a indenização, o Flamengo alega ter sido a única entidade realmente prejudicada com o episódio causado por Guerrero e a comissão técnica da seleção peruana. Outro ponto importante abordado no processo é que uma vez divulgada a punição da Fifa, o Rubro-Negro já havia quitado, de forma adiantada, a integralidade do acordo para o uso de imagem do jogador.

Após ter acionado o jogador na Justiça, a tendência é que seja marcada uma audiência de conciliação entre as partes no mínimo daqui a 30 dias. O atacante será chamado para a reunião, mas por lei terá até 10 dias antes da audiência para comunicar que não tem interesse na conciliação. Além disso, ele também terá 15 dias para apresentar sua defesa.

O contrato com o Flamengo chegou ao fim no último dia 10 de agosto. O jogador então acertou sua transferência para o Internacional, de Porto Alegre. Só que na última semana, o efeito suspensivo que lhe dava condição de entrar em campo pelo Colorado foi derrubado. Guerrero então está impedido de atuar pelo novo clube por mais 8 meses.

 

Mais lidas do mês