Mídias Sociais

Esporte

Clubes do Rio se posicionam sobre o retorno do Campeonato Carioca

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

Os clubes do Rio de Janeiro se mobilizaram e enviaram um documento à Ferj nesta sexta-feira (8) pedindo o retorno do Campeonato Carioca. O arquivo conta com a assinatura da grande maioria das equipes. Botafogo e Fluminense foram as exceções. Os dois continuam se posicionando contra a volta do Estadual.

Assinaram o documento América, Americano, Portuguesa, Cabofriense, Bangu, Boavista, Macaé, Friburguense, Madureira, Nova Iguaçu, Volta Redonda, Vasco e Flamengo. No arquivo, eles pedem o retorno das atividades e dos jogos o mais breve que for possível. As equipes que assinaram também se comprometeram a cumprir com as exigências necessárias para garantir a segurança de jogadores e demais funcionários.

Desde o princípio, Botafogo e Fluminense sempre se posicionaram contra a volta das jogos antes da liberação total das autoridades de saúde. O presidente Alvinegro, Nelson Mufarrej, explicou publicamente a decisão do clube.

"É questão de coerência ao nosso posicionamento público. Estamos próximos ao pico da pandemia, com o sistema público perto da asfixia e o que mais se fala é em lockdown. O futebol pode esperar. O retorno tem que ser orgânico. Respeito a atitude dos demais clubes, mas entendemos ser a hora de preservar a saúde de todos e por isso não assinamos", disse o mandatário.

Os representantes dos clubes de menor investimento se reuniram nesta semana com o presidente da Ferj, Rubens Lopes. No encontro, eles se comprometeram a contratar empresas para fazer a higienização dos ambientes que vão receber os atletas. Em contrapartida, a Federação prometeu buscar junto as autoridades a liberação. Cabe lembrar que, neste momento, as atividades esportivas seguem vetadas.

A Ferj estuda colocar em prática um plano para reduzir o risco de contágio pelo coronavírus. Uma das ações seria reduzir o número de estádios para três, com os jogos sendo realizados apenas Maracanã, Nilton Santos e São Januário. A entidade quer também reduzir o número de pessoas trabalhando nas partidas. Ela pensa em usar esses fatores para tentar convencer as autoridades pela liberação e assim conseguir encerrar o Campeonato Carioca.

Foto: reprodução

Mais lidas da semana