Mídias Sociais

Esporte

Base do Macaé Basquete passa por testes semelhantes aos utilizados por seleções da Copa

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

O Macaé Basquete é hoje uma referência nacional nas categorias de base. Buscando um trabalho de excelência, o clube está se modernizando a fim de atingir os melhores resultados. Prova disso é que os times de base da equipe passaram por uma série de testes nos últimos meses, utilizando equipamentos de última geração, fabricados pelas empresas italianas Sensor Médica e Lizard.

De acordo com a assessoria de imprensa do Macaé Basquete, os exames serviram para avaliar as forças de equilíbrio, o tipo de pesada e a velocidade dos movimentos dos atletas. Essa tecnologia é semelhante a utilizada, por exemplo, por jogadores das seleções de futebol de Portugal e Espanha, que estão disputando a Copa do Mundo, e da Itália, tetracampeã mundial.

Esse tipo de triagem pode apresentar resultados valiosos para a comissão técnica, como explica o treinador das categorias de base do Macaé Basquete, Bruno Gonzales. “Através desses dados é possível individualizar os treinamentos. Ou seja, com esses testes eu consigo especificar o que cada atleta realmente precisa melhorar e consigo trabalhar com cada um deles de acordo com as suas necessidades. Por isso os resultados são tão importantes para nós”, explicou Bruno.

Os jogadores do Macaé Basquete passaram por dois testes nos últimos 30 dias, intercalados com períodos de treinamentos especializados de Propriopercepção Corporal (capacidade em reconhecer a localização espacial do corpo). Com esse tipo de teste é possível melhorar o controle dos movimentos e o domínio do corpo.

Os testes foram realizados pela equipe do Dr. Francisco Miguel Pinto, pesquisador e membro da Association Word Posturology, e da também pesquisadora, a fisioterapeuta, Drª Karine Cardoso Cirino. Os dois estão realizando uma pesquisa para um estudo, fruto de uma parceria especial e única no país entre a Escola de Posturologia Brasil e as empresas Lizard e Sensor Medica. Além de servir como base para o melhor aproveitamento da performance e redução de lesões nos jogadores, os dados serão utilizados em um trabalho de mestrado da Universidade Fernando Pessoa, em Portugal.

“Procuramos por um clube de basquete com instalações apropriadas na região que tivesse organização nas categorias de base. E recebemos excelentes recomendações sobre o Macaé Basquete e sua comissão técnica, que, percebendo a importância da pesquisa e os benefícios para os atletas, topou a parceria. Nossos esforços são para que a categoria de base tenha uma atenção especial nesta fase, devido a formação de jovens atletas para futuros campeões”, afirmou o Dr. Francisco Miguel.

Foto: Carlos Fernandes

 

 

 


 

Mais lidas do mês