Mídias Sociais

Esporte

Baixa produção ofensiva gera preocupação no Vasco para a Copa Sul-Americana

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

O Vasco vem sofrendo neste início de temporada com a escassez de gols. Este foi um dos fatores que contribuíram para a eliminação precoce na Taça Guanabara. Tendo agora pela frente a Copa Sul-Americana. O Cruz-Maltino espera achar sua formação ideal e melhorar seu poderío ofensivo para acabar não ficando pelo caminho também no torneio continental.

Em 2020, o Vasco balançou as redes em apenas uma oportunidade em cinco partidas disputadas até aqui. Os números representam o pior início ofensivo do clube no século, o que por si só já é de chamar a atenção. O Cruz-Maltino tem hoje a impressionante média de 0,2 gols por jogo.

Como a Sul-Americana é um torneio eliminatório, o time precisa reagir o quanto antes para evitar outra eliminação precoce. Nesta quarta-feira (5), o Vasco irá receber o Oriente Petrolero, da Bolívia, às 21h30, em São Januário. O Cruz-Maltino sabe que precisa aproveitar o mando de campo para construir uma vantagem, algo que traria um pouco mais de tranquilidade ao time para o jogo da volta.

"Vamos ver a equipe que vamos escalar para nos dar o gol que está faltando. Eu levo para casa hoje um sentimento de frustração, mas tenho esperança", afirmou Abel Braga após a derrota para o Botafogo, no último domingo.

Pelo Campeonato Carioca, o Vasco não tem mais chances de avançar para a semifinal da Taça Guanabara. Mesmo assim, o time entra em campo no fim de semana para cumprir tabela. O time terá pela frente a Portuguesa no domingo, em local ainda indefinido.

Foto: Rafael Ribeiro

Mais lidas da semana