Mídias Sociais

Esporte

Autuori sobe o tom, volta a criticar a Ferj e joga indiretas para o rival Flamengo

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

O Botafogo fechou sua participação no Campeonato Carioca no último domingo (5) no empate em 0 a 0 diante do Fluminense, pela semifinal da Taça Rio. Por ter feito melhor campanha na fase de grupos, o Tricolor das Laranjeiras avançou para a final do turno. Logo após a partida, o técnico Paulo Autuori voltou a criticar a Ferj e chegou a tentar minizar o Estadual ao chamá-lo de "Carioquinha".

"É uma lógica de um treinador que tem de pensar em tudo. Um olho no agora, outro no futuro. Cheguei há pouco tempo, o campeonato parou. Eu nem ia fazer substituição hoje. Preciso fazer com que essa equipe jogue e ganhe organização. Sabe por quê? O campeonato vai parar um mês. Vamos fazer amistoso com quem? Estamos solidificando coisas, isso é um processo. Não tenho o menor problema em entender que deve ser assim, solidificar aqui para que consiga construir algo consciente e consistente. Logicamente todo mundo quer ganhar. O Carioquinha, nós de alguma maneira fizemos o que tínhamos de fazer. Foi a única competição que voltou de forma açodada. Em alguns jogos se cumpre o famigerado protocolo exemplar da Ferj, outros não, já viu o que aconteceu com o Fluminense em Bacaxá", criticou Autuori.

Autuori falou também sobre seus planos para o futuro da equipe, soltando até uma indireta para o rival Flamengo, que voltou a treinar antes dos demais mesmo sem autorização da Prefeitura do Rio.

"Estamos tentando algumas variações. Você precisa de jogadores que saibam, os volantes para mim têm de jogar. A dinâmica de uma equipe tem a ver com os volantes. E hoje eu vi o Caio e o Honda jogando muito bem, se procurando, fazendo as diagonais quando a equipe não tinha a bola, alternando na saída para pressão mais alta... Quero realçar muito a participação do Luiz Fernando e Luis Henrique, facilitaram muito o trabalho do Honda. Quando tiverem mais desenvolvimento, como todos os jogadores do futebol brasileiro, só de alguns clubes que tiveram o privilégio de começar antes, fugindo daquilo que as autoridades sanitárias haviam colocado. Então estou bastante satisfeito da maneira como o Caio e o Honda jogaram ali por dentro", encerrou Autuori.

Foto: Vitor Silva

Mais lidas da semana