Mídias Sociais

Esporte

Autuori se diz sem clima para motivar jogadores para semifinal da Taça Rio

Sérgio Barcellos

Publicado

em

 

Classificado para a semifinal da Taça Rio, o Botafogo agora foca todas as suas atenções no Fluminense, seu próximo adversário pelo Campeonato Carioca. As equipes se enfrentam no próximo domingo (5), às 16 horas, no Estádio Nilton Santos, o Engenhão, mas somente uma delas seguirá viva na competição.

Mesmo com a sensação de dever cumprido por ter garantido a classificação, o técnico Paulo Autuori não parece muito animado com a sequência da competição. Sempre se posicionando de forma contrário ao retorno do futebol, o treinador chegou a declarar que se vê sem clima para motivar seus jogadores para a semifinal.

"Não há clima. Não falo de pessoas, mas em termos conceituais. Aqui no Brasil, quando há discordâncias conceituais, elas viram problemas pessoais. Reflete o catastrófico momento do futebol do Rio de Janeiro, confundindo ações políticas com o desporto. O Botafogo foi punido porque cobraram dez vezes mais do clube e do Fluminense, em relação a Flamengo e Vasco. É retaliação clara, de gente que não tem argumento e se manifesta através da força. As perguntas não foram respondidas, porque não há como responder. Tentaram mostrar que podiam ser exemplo para o Brasil e deram muitos tiros nos pés nos últimos dias. Futebol carioca é retrato do futebol brasileiro, não de agora, já de um tempo", criticou o treinador em entrevista ao programa “Debate Final”, do Fox Sports.

Autuori sempre se posicionou de forma contrária ao retorno do futebol no panorama atual do coronavírus. O treinador vem criticando constantemente a Ferj pela imposição do retorno do estadual em meio a pandemia.

"Vejo tudo com muita tristeza. Acho que isso transcende ao futebol. O país está com muitas incertezas, há certo desgoverno em relação a decisões importantes em um momento difícil para todo o mundo. O futebol voltou porque a pandemia já estava bem controlada em outros países, com tendência de decréscimo da curva, retornaram os treinos, com tempo para se preparar, a maioria sem público. Aqui falta liderança ao futebol brasileiro, a decisão ficou a critério de cada federação, ficou sem rumo", encerrou Autuori.

Foto: Vitor Silva

Mais lidas da semana