Mídias Sociais

Esporte

A história de Liliane Alves, atleta que irá disputar o Grand Slam de Jiu-Jitsu em Abu Dhabi

Avatar

Publicado

em

 

Conhecido mundialmente como uma ferramenta capaz de mudar a vida das pessoas, o esporte mais uma vez nos proporciona uma história de superação. Foi em um momento de adversidade que Liliane Alves encontrou no jiu-jitsu uma nova vocação. A história começou em 2016 e de lá para cá, a atleta coleciona títulos na breve, mas vitoriosa carreira. Um deles foi o Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu, conquistado no Tijuca Tênis Clube no mês passado.

A meteórica ascensão no jiu-jitsu levará Liliane Alves para Abu Dhabi, onde nos dias 11,12 e 13 de novembro, ela disputará o Grand Slam da modalidade. A descoberta no esporte se deu por acaso. “Comecei quando fiquei desempregada. Como não tinha condições financeiras de pagar uma academia, eu fui até o Ginásio Municipal para me escrever na academia. Infelizmente não tinha vaga disponível, mas reparei que estava tendo aula de jiu-jitsu na sala ao lado. Achei bacana o trabalho e foi quando conheci o professor Ranieri Fernandes, que me convidou para uma aula experimental. Desde então não parei mais. O Ranieri viu que eu tinha potencial para me tornar uma atleta. Como fui demitida do trabalho, usei o jiu-jitsu como forma de me relacionar e fazer contatos e hoje eu vivo para a modalidade”, contou Liliane Alves, que é formada em técnica de segurança e trabalhava em uma empresa de manutenção e obras antes de dar início a carreira no esporte.

Com apenas um ano e quatro meses de experiência com a modalidade, Liliane acumula feitos notáveis. Além do brasileiro, ela faturou o 3º lugar no Campeonato Internacional da Federação Internacional de Jiu-Jitsu, também disputado no Tijuca Tênis Clube, em setembro deste ano. E não foi só isso, em abril, Liliane foi a terceira colocada no Campeonato da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu, disputado em Barueri, São Paulo. Soma-se a isso ainda um segundo lugar no Arena Búzios, disputado no início deste mês em Armação dos Búzios.

“Está sendo muito bom. Realmente descobri uma vocação no jiu-jitsu. Nunca imaginei que uma dia iria me tonar uma atleta. Tem sido uma experiência maravilhosa”, afirmou Liliane. A atleta é natural do Rio de Janeiro, mas mora em Macaé desde os 14 anos. “Foi a cidade que me acolheu. Fiz muitas amizades aqui eu sou muito grata a Macaé por tudo que ela me proporcionou”, revelou.

Mas nem só de glórias vive um atleta. Além da rotina pesada nos treinamentos, ela ainda precisa se desdobrar para custear as viagens e seguir adiante com o sonho de viver do esporte. Hoje, Liliane conta com o patrocínio do Programa Bolsa Atleta. “O aporte do Bolsa Atleta é importante, mas preciso também de apoios. Por isso, quem tiver interesse em ajudar, pode entrar em contato comigo pelo telefone (22) 9 9994-9110”, finalizou Liliane.

Sérgio Barcellos 

Foto: Bruno Campos 

Mais lidas da semana