Mídias Sociais

Destaque

Foco proposto pelo futuro presidente da Petrobras vai priorizar operações baseadas em Macaé

Publicado

em

 

O novo perfil de atividades da Petrobras, já traçados pelo planejamento econômico do futuro governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), vai garantir a Macaé a partir de 2019, não apenas a superação da crise e a retomada de oportunidades, mas sim a consolidação de todos os projetos traçados com objetivo de fortalecer o protagonismo da cidade, dentro da indústria de óleo e gás, do Estado do Rio de Janeiro.
Para Roberto Castello Branco, nome indicado por Paulo Guedes, futuro Ministro da Economia do governo Bolsonaro, a estatal vai priorizar investimentos na modernização dos sistemas de produção e desenvolver projetos de exploração de áreas que já pertencem ao portfólio da companhia.
Setores do mercado offshore que garantiram à Macaé três décadas de prosperidade, e de expertise fabricada por companhias internacionais que formam hoje o polo offshore do município, a exploração e produção também serão as bases para a geração de mais de 700 mil postos de trabalho em quatro anos, de acordo com as análises da Associação Brasileira das Empresas de Serviços do Petróleo (Abespetro).
Dentro do campo da produção, onde a Petrobras detém a maior experiência tecnológica no mercado mundial offshore, cresce a proposta de revitalização dos campos maduros, oportunidade que já mobiliza as empresas sediadas na cidade, com potencial de investimentos e conhecimento necessários para expandir a participação da Bacia de Campos no volume de barris diários extraídos em camadas do pós-sal.
Já o novo ciclo de exploração, também traçado pela futura gestão da Petrobras, fortalece a consolidação de projetos que ampliarão a infraestrutura e logística para as operações de óleo e gás, e o principal é o Tepor.
De olho na demanda das atividades que interligam os sistemas de produção em alto mar, e as bases operacionais no polo onshore, o Tepor deve iniciar no primeiro semestre do próximo ano as obras do novo porto do São José do Barreto.
Em seguência, o projeto consolidará a Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) em área do Imburo, atendendo assim a demanda da Petrobras, e outras operadoras de petróleo nas Bacias de Campos e de Santos, por estocagem e processamento de gás natural.
Somando ao Tepor, a logística da cidade já conta com a reforma da pista do Aeroporto de Macaé, prevista para ser concluída em dezembro. Em 2019, o governo federal dará continuidade ao projeto de concessão da base macaense, que desperta o interesse de empresas internacionais do setor aéreo, com previsão de investimentos na ordem de R$ 300 milhões.
E no próximo ano, o município avançará também em investimentos de infraestrutura, através do projeto “Avança Macaé”. Proposto pelo governo municipal, a iniciativa propõe parceria com a iniciativa privada, como forma de desenvolver grandes projetos de urbanização na cidade, como a Transportuária, viabilizando a construção do Tepor, criando um novo acesso entre a RJ 106 e a RJ 168, as duas principais vias que interligam o município à BR 101.

Roberto Castello Branco, o futuro presidente da Petrobras


 

Mais lidas do mês