Mídias Sociais

Economia

CREA participa da 9° Feira Brasil Offshore e avalia evento como positivo e aposta na retomada da economia

Avatar

Publicado

em

 

Presente em todas as edições da feira, desde 2001, gerente de projetos ministrou palestra sobre “Complaince”  nas empresas.

Daniela Bairros

O CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) do Rio de Janeiro participou da 9ª edição da Brasil Offshore em Macaé, evento encerrado nessa sexta-feira (23) no Centro de Convenções Jornalista Roberto Marinho.

Representando o presidente do órgão, Reinaldo Barros, o Gerente de Projetos e Inovação do CREA RJ, Rodrigo Machado, avaliou os três dias de evento e aposta na retomada da economia. “Acredito sim que estamos vivendo uma retomada. As pessoas estão se organizando. Esse momento em que o país atravessa, a meu ver, foi um freio importante de arrumação. No passado, algumas empresas que participaram das outras edições, só queriam expor suas marcas e não havia preocupação de gerar negócio, porque os contratos estavam em margens muito altas. Nesta edição, houve mais interesse para gerar negócio, buscando parcerias para isso. Mesmo um pouco movimentada em comparação às outras feiras, esta edição está mais integrada às empresas, incluindo as que vieram de fora”.

Para Machado, um dos principais fatores que estão contribuindo com a retomada  da economia é a parceria da Petrobras com empresas, prefeitura e construção do Porto, uma necessidade para Macaé.

Palestra

Durante a 9ª Feira Brasil Offshore, o gerente de Projeto e Inovação do CREA ministrou palestras, que abordaram temas relacionados às comunidades tecnológicas e processo de renovação do órgão fiscalizador. Rodrigo Machado, em suas palestras, enfatizou que neste processo de renovação, o CREA está valorizando as práticas de complaince, que é adesão às regras, leis, normas para garantir a integridade das empresas, segurança jurídica, conformidade, transparência e ética. “O CREA sempre aborda estas questões: transparência e aderências às leis que regem o exercício profissional. Garantir que profissionais e empresas habilitadas estejam à frente de serviços técnicos”, explicou.

Há três anos, segundo Machado, o CREA retomou a certificação de conformidade, com a certificação de 150 empresas em 2015, 249 em 2016, e cerca de 300 neste ano. Machado afirmou que a Petrobras e outras grandes empresas contratantes já reconhecem esta certificação como uma boa prática dentro da política de complaince. “Nas palestras, enfatizamos que todos que querem implementar política complaince em engenharia, tem que estar aderente às normas e regras do exercício profissional, o que é a função do Crea”.

Para ele, a Petrobras, que precisa garantir integridades nas contratações, ter o Crea como parceiro, disseminando esta certificação, é importante para segurança e integridade total da operação. “Isso garante que engenheiros, profissionais e empresas habilitadas estejam nos contratos”, concluiu.

 

Crédito: Igor Faria

Mais lidas da semana