Mídias Sociais

Economia

Conta de luz continuará sem cobrança extra em setembro

Avatar

Publicado

em

 

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que a bandeira tarifária permanecerá na cor verde em setembro. Isso significa que não haverá cobrança extra nas contas de luz pelo uso de termelétricas.

Desde abril a bandeira tarifária está na cor verde. O mês de setembro será o sexto consecutivo sem a cobrança extra na conta de luz.

A manutenção da bandeira verde se deve, segundo a Aneel, à evolução positiva do período úmido de 2016, que recompõe os reservatórios das hidrelétricas, aumento de energia disponível com redução de demanda e a adição de novas usinas ao sistema elétrico brasileiro.

Em todo o país essa economia já começa a refletir. Para as famílias brasileiras, mesmo que seja um pequeno desconto, faz a diferença no final do mês.

Nas ruas de Macaé muita gente não sabe explicar a diferença da cor de bandeira e o que ela representa no bolso do consumidor. Mas quando o assunto é economia, todos só tem uma coisa a dizer: isso é muito bom! Para a dona de casa Ivany Lontra, moradora do bairro Lagomar, a economia pode ser mínima, mas é bem-vinda.

“Mesmo não entendendo muito dessas tarifas, venho acompanhando na minha conta de luz a redução da cobrança. Isso na verdade é raro de acontecer e difícil de acreditar, porque o que sobre para nós consumidores são taxas e mais taxas e juros excessivos, e quando aparece um desconto é de se estranhar”, disse.

O mesmo disse o aposentado Luiz Almeida. Morador da Riviera Fluminense, ele não consegue entender as tarifas mas todo desconto é garantia de economia. “Essas taxas de energia eu não sei explicar direito, mas essa diminuição já é uma economia. Na verdade não é um desconto, mas sim a falta da cobrança excessiva e isso faz a diferença quando vamos pagar a conta”, refletiu.

Segundo o diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luiz Eduardo Barata, o nível dos reservatórios aponta que a bandeira verde deverá ser mantida até o final do ano. “Acho que ficaremos com a verde até o fim, porque em outubro e novembro começa a época das chuvas, além disso no período seco também está chovendo”, frisou.

Entenda o sistema

O sistema de bandeiras tarifárias começou a valer em janeiro de 2015. O mecanismo foi criado para permitir a arrecadação imediata de recursos para cobrir gastos extras com o aumento do uso de eletricidade produzida pelas termelétricas.

A energia de termelétricas custa mais caro que a das hidrelétricas porque é produzida pela queima de combustíveis, como óleo e gás natural.

Entre o final de 2012 e o início de 2016, foi preciso aumentar o uso das termelétricas no Brasil por conta da falta de chuvas, que deixou os reservatórios das hidrelétricas nos níveis mais baixos em anos.

O sistema hoje tem três patamares, representados pelas bandeiras verde, amarela e vermelha. Na verde, não há custo adicional e, portanto, os consumidores não pagam nada a mais.

Na amarela significa que houve algum aumento no custo para gerar energia e, a vermelha, que esse custo de produção está muito alto.

Se ele for amarela, o adicional é de R$ 1,50 a cada 100 kWh (quilowatt-hora) consumidos. Já na bandeira vermelha há 2 patamares. No patamar 1, o adicional é de R$ 3 aplicados a cada 100 kWh (quilowatt-hora) consumidos. No patamar 2, a cobrança extra é de R$ 4,50 a cada 100 kWh (quilowatt-hora).

 

Esio Bellido

Foto: Divulgação

Mais lidas da semana