Mídias Sociais

Destaque

Campos também sofre com surto de conjuntivite

Bertha Muniz

Publicado

em

Vigilância Epidemiológica confirmou o surto, mas não informou o número de pacientes atendidos nas unidades de saúde do município.

O município de Campos dos Goytacazes confirmou que está passando por um surto de conjuntivite. De acordo com a Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, o surto da doença é caracterizado pela alteração do número de casos no cenário epidemiológico normal do município, registrado em um determinado período de tempo.

O órgão não informou o número de pacientes atendidos nas unidades de saúde do município.

A conjuntivite é uma doença que se caracteriza pela inflamação da conjuntiva, causada por agentes tóxicos, alergias, bactérias ou vírus. A conjuntiva é a membrana transparente que recobre o globo ocular e a parte interna da pálpebra.

A conjuntivite viral é altamente contagiosa, freqüente no verão, e apesar de não ser grave provoca muito incômodo e alguns cuidados devem ser tomados para que não se transforme em epidemia.

Geralmente compromete os dois olhos, não necessariamente ao mesmo tempo, sendo o contagio feito pelo contato direto com a pessoa doente ou objetos contaminados. Esta contaminação ocorre com maior facilidade em ambientes fechados como escolas, creches e ônibus.

SINTOMAS

Os principais sintomas da conjuntivite são:  Olho vermelho e lacrimejante;
Inchaço nas pálpebras;
Intolerância à luz;
Visão embaçada;
Visão borrada.

A secreção da conjuntivite viral é mais esbranquiçada, em pequena quantidade e demorando aproximadamente 15 a 20 dias para desaparecer com tratamento adequado. A secreção da conjuntivite bacteriana é mais amarelada e abundante. Demorar de 5 a 7 dias para desaparecer com tratamento adequado.

TRATAMENTO

Não existe tratamento específico para conjuntivite viral. Para diminuir os sintomas e o desconforto pode-se utilizar soro fisiológico gelado e compressas sobre as pálpebras, limpar os olhos com frequência, ou ainda, usar colírios lubrificantes e lágrimas artificiais.

Mais lidas do mês