Mídias Sociais

Cidades

Bióloga explica forte cheiro após as chuvas em Macaé

Bertha Muniz

Publicado

em

Profissional esclarece que a lama de áreas alagadas possui o odor desagradável, semelhante ao de esgoto.

Quase uma semana após a enchente que atingiu a cidade de Macaé e toda a região serrana, a população convive com um cheiro desagradável, semelhante ao de esgoto, sentido na maioria dos casos, em regiões cercadas por vegetação. O fenômeno pode ser explicado devido ao acúmulo de água durante muito tempo em várias localidades do município.

A bióloga e médica veterinária, Juliana Branco Barbosa, esclarece que a lama de áreas alagadas possui cheiro forte. “A lama em si já possui um odor desagradável. Além disso, temos a decomposição da vegetação, de lixo, animais mortos e a mistura do esgoto, que formam esse cheiro”, explica Juliana. O mal cheio tem solução, segundo a bióloga. “Nesse caso tem que acionar a prefeitura pra limpeza das áreas afetadas”, ressalta.

Sobre o forte odor percebido em alguns pontos da cidade na noite desta terça-feira (13), a Secretaria de Ambiente e Sustentabilidade de Macaé esclareceu ser um processo natural, que ocorre devido ao acúmulo de água e apodrecimento da vegetação, com previsão de não mais ser percebido com o escoamento da água.

A Prefeitura de Macaé informou ainda, nesta quarta-feira (14), que continua atuando de maneira ostensiva nos locais atingidos pelas fortes chuvas. Segundo o município, as equipes intensificaram as ações nas localidades da Nova Malvinas, Nova Esperança/Beira Linha e Ilha Leocádia.

A ação também é acompanhada pelos agentes da Secretaria Adjunta de Defesa Civil, que verificaram a parte estrutural das residências, levando segurança para os moradores. Ainda de acordo com a prefeitura, equipes de diferentes setores do governo municipal trabalham a fim de que os transtornos à população sejam sanados o quanto antes.

Mais lidas do mês