Mídias Sociais

Cultura

Teatro Municipal de Cabo Frio de portas fechadas para o público

Avatar

Publicado

em

 

 

O Teatro Municipal de Cabo Frio está há meses de portas fechadas para o público. Isso porque o espaço não tem estrutura para receber qualquer tipo de atração. A situação entristece a população, que gosta de arte e cultura.

O Cabo-friense Pedro Nogueira lamenta a situação e enfatiza a importância de valorizar espaços como esses. “Em tempos, onde crianças e jovens ficam expostos somente a TV, o teatro tem sido cada vez mais desvalorizado, mas tenho certeza, que se houvesse um investimento maior, a população começaria a enxergar com outros olhos não só apresentações teatrais, mas todo e qualquer forma de cultura. É triste observar um espaço desses, totalmente abandonado. Na verdade, a cultura em uma forma geral abandonada”, lamentou.

A ativista do Sepe, Denize Azevedo, também comentou sobre o descaso com o prédio, através das redes sociais. “Como pode o único teatro público estar de portas fechadas para espetáculos e nada ser feito na cidade? Gente, por favor! Organizemos um grande ato em repúdio à falta de manutenção do nosso teatro! Lembram dos fogos na virada? Quando o governo quer encontra parceiros!”, lembrou Denize.

Em resposta a publicação o gestor do espaço, Yuri Vasconcellos, informou que as solicitações já foram encaminhadas para as secretarias responsáveis, desde o início do ano, e agora é necessário aguardar a manutenção necessária, mesmo diante do quadro atual de crise financeira. O mesmo disse ainda que entendo que o teatro não poderia ficar parado, houve um aumento nas atividades e nas vagas para mais de cem alunos de teatro e oficina de violão. Yuri conclui falando que é importante a participação da sociedade. “Para isso estamos organizando uma Associação de Amigos do TMCF, que já reúne (e vai reunir muitas mais) pessoas que se preocupam e valorizam o espaço em sua importância artística, cultural e histórica! Porque "o espetáculo não pode parar", e juntos, independente de qualquer bandeira partidária ou posicionamento político, vamos ajudar e fazer a diferença, porque a Arte e a Cultura são bens universais e essenciais pra todos nós! Todos pelo Teatro Municipal de Cabo Frio Inah de Azevedo Mureb!”, finalizou.

 

Segundo distrito também sofre com o mesmo problema – Em Tamoios, apesar de não ter um Teatro Municipal, a cultura também sofre um grave abandono.  Em anexo ao Ginásio Poliesportivo João Augusto existem três salas, que foram planejadas para o desenvolvimento de projetos culturais, uma delas, inclusive, já foi uma biblioteca. Porém, atualmente, todas estão depredadas, com vidros quebrados, portas abertas, e claro sem nenhuma atividade. O que seja ser um crime.

“Estamos em um mundo que a criminalidade cresce a cada momento. Por que não investir em cultura? Esse é uma das poucas soluções que ainda podemos ter para salvar esses jovens, mas ninguém quer enxergar”, lamentou a moradora Andressa Reis.

Mais lidas da semana