Mídias Sociais

Cultura

Com diversas músicas de Cazuza, Bloco Exagerado se apresenta no Teatro Sesi Macaé dia 29

Daniela Bairros

Publicado

em

 

Bloco comemora 30 anos de “O tempo não para”. Ingressos estão sendo vendidos a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Apresentação será às 20h.

Daniela Bairros

O Teatro Sesi Macaé se transformará numa avenida animada por um bloco de carnaval. O eterno Cazuza será relembrado com a apresentação do Bloco Exagerado, no próximo dia 29. Com diversas músicas de Cazuza, o bloco comemora 30 anos de “O Tempo não para”. Os ingressos estão sendo vendidos a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Apresentação será às 20h.

Mostrando que Cazuza possui muita afinidade com o carnaval, o bloco Exagerado foi uma das boas novidades de 2016, ao homenagear um legítimo carioca, brincalhão e amante da música brasileira em plena festa da carne. Com músicas do poeta nos ritmos da folia, o grupo arrastou uma multidão de fãs ao Arco do Teles, em 2016. Já no ano passado, levou a poesia de Cazuza para São Paulo, Belo Horizonte e Rio, na Praça Tiradentes.

Sucesso no carnaval deste ano, o bloco juntou mais de 30 mil pessoas na Praça Tiradentes, abrindo as homenagens aos 60 anos de Cazuza, que seriam completados em abril deste ano se estivesse vivo.

A partir da base original de sucessos de Cazuza como cantor e compositor, o Exagerado dá o clima da festa com chocalhos, surdos, triângulos e tamborins. O show traz o repertório completo do disco “O tempo não para”, de 1988, com versões como “Vida louca vida” e “Exagerado” em ritmo de samba. Para complementar o show “Por que a gente assim?” na pegada do baião e o frevo de “Malandragem”, entre outras.

O bloco tem a benção de Lucinha Araújo, a mãe do cantor que apoia e abençoa a homenagem muito bacana e respeitosa ao filho.

Neste ano, o bloco levou a premiação de Melhor Bloco Carnavalesco no PPM (Prêmio Profissionais da Música) em Brasília e ainda participou da categoria “A Parada do Ano” por ter sido um dos 10 artistas mais votados pelo público. O Bloco Exagerado, na formação banda, tem no vocal Helton Alves, na guitarra Wellington Diaz e Victor Matos no baixo, na percussão Renan Farias, Raphael Lopes, Alessandra Libonatti, Fernando Aragão, Marcelle Cabral, Fernanda Costa e Silva e Felipe Bruno, que assina os arranjos musicais. Além da banda, o bloco também se apresenta com a Bateria Exagerada, que conta com 40 ritmistas formados pela Oficina de Ritmos do bloco.

 

Crédito: André Glasner

 

 


 

Mais lidas do mês