Mídias Sociais

Cultura

Carapebus: município e estado cadastram artesãos

Publicado

em

 

O cadastramento será feito por equipes técnicas das duas administrações, que estarão na Escola Municipal Antônio Augusto da Paz.

Da redação

Para regularizar a situação cadastral e ter um quadro real da potencialidade artesanal de Carapebus, será realizado na terça-feira (10) o cadastramento dos artesãos do município. A ação é em parceria entre a Prefeitura e Secretaria do Estado de Turismo, através do Programa de Artesanato Brasileiro (PAB). O cadastramento será feito por equipes  técnicas das duas administrações, que estarão na Escola Municipal Antônio Augusto da Paz, localizada na Rua Silva Drumond, 318, centro, a partir das 10 horas.

As atividades terão início às 10 horas, com apresentação da ação do programa de artesanato desenvolvido pelo governo do estado, em palestra proferida pela coordenadora estadual, Nea Mariozz. Logo após haverá o cadastramento dos interessados, que poderão fazê-lo até às16 horas, quando se encerram as atividades.

Esse cadastramento é válido para todos que levarem uma foto 3x4 recente, com cópias do comprovante de residência, CPF e RG. O artesão deverá apresentar trabalhos finalizados, cada um em técnica diferente, sendo um deles inacabado, para ser concluído no local, sob acompanhamento dos técnicos da área. Vale lembrar, que o artesão que se inscreveu, antes de 2015, deve levar os documentos exigidos par renovação do cadastro.

Para o artesão, esse cadastramento é de grande valia por permite que ele, a partir de sua inscrição e credenciamento possa obter diversos benefícios, como: a Carteira Nacional do Artesão (que será entregue a partir da finalização do cadastro nos 92 municípios); participação em feiras do Programa (PAB); divulgação; capacitação/qualificação; microcréditos e apoio na comercialização.

O Programa de Artesanato Brasileiro  foi instituído com a finalidade de coordenar e desenvolver atividades que visam valorizar o artesão brasileiro, elevando o seu nível cultural, profissional, social e econômico, bem como, desenvolver e promover o artesanato como forma de empreendedorismo. As ações do programa possibilitam a consolidação do artesanato brasileiro enquanto setor econômico de forte impacto no desenvolvimento das comunidades, a partir da consideração de que a atividade é disseminada em todo território nacional, possuindo variações e características peculiares conforme o ambiente e a cultura regional.

A riqueza decorrente dessa diversidade é fundamental, mas não garante a competitividade do produto artesanal no mercado. Por isso, o PAB tem como foco de ação a preparação dos artesãos e das organizações representativas do setor para o mercado, promovendo a profissionalização e a comercialização dos produtos artesanais.

Crédito: Divulgação

 


 

Mais lidas do mês