Mídias Sociais

Cultura

Beco das Artes, em Macaé, é alvo de vandalismo e tentativas de furto

Daniela Bairros

Publicado

em

 

Recentemente, a intervenção “Umbrellas ao Vento” sofreu duas tentativas de furto num curto período de 15 dias. Em outras ocasiões, pessoas foram flagradas puxando os objetos que ficavam suspensos. 

Daniela Bairros

Recebendo cerca de 300 visitantes todos os dias, o Beco das Artes, na Praia do Pecado, em Macaé, foi alvo de vandalismo e de tentativas de furtos. Recentemente, a intervenção “Umbrellas ao Vento” sofreu duas tentativas de furto em um curto período de 15 dias. Em outras ocasiões, pessoas foram flagradas puxando os objetos que ficavam suspensos.

Segundo a Coordenadora Geral do Beco das Artes, Agnes Williams Timoteo, os cabos de aço que sustentam os guarda-chuvas foram ao chão. Outros atos de vandalismo nas exposições na céu aberto, como retirada de acessórios da intervenção artística O Vilarejo – Fachadas Coloniais – e a pichação na parede de Cartões Postais, tem atrapalhado a beleza e a concepção que todo o espaço carrega.  “Isso nos entristece muito, já que o projeto foi idealizado por oito anos e concebido com o objetivo de dar à população macaense e aos turistas que visitam a cidade, uma opção de um cenário artístico e cultural como forma de lazer para todos”, salientou Agnes.

A coordenação da Rua Beco das Artes tem lutado para reverter o cenário de degradação pedindo auxílio aos órgãos de segurança competentes. “Reiteramos que os atos foi uma total falta de respeito e amor ao próximo com quem visita e propaga o que há de mais lindo na Rua Beco das Artes.  Contamos com a colaboração de toda a população de Macaé para que seja mantida a integridade dos bens e aproveito para agradecer aos visitantes que entenderam o objetivo do espaço e que juntamente conosco, lutam para manter o local vivo para que a sociedade possa usufruir de toda a beleza histórica que a Rua Beco das Artes expõe e ainda tem a oferecer com outras intervenções que estão para chegar em breve”, concluiu a coordenadora do local.

Crédito: Divulgação

 


 

Mais lidas do mês