Mídias Sociais

Cultura

Artista de Macaé participa de um dos maiores festivais de música de São Paulo

Publicado

em

 

Força da natureza. Essa é uma das expressões que melhor representam Emily Santos, de 22 anos, mais conhecida como Lewa D’Oxum, nascida em Salvador, na Bahia, mas moradora de Macaé, no Rio de Janeiro desde criança, quando chegou à cidade, mas para expandir sua arte vive entre o eixo Rio x São Paulo. Se destacando cada vez mais, a cantora, percussionista, musicista e poeta alcança mais um importante passo na carreira, ao participar do “Festival Rec-Beat”, um dos maiores eventos de música do Brasil, que acontece em São Paulo, do dia 19 a 25 de abril.

Diante da pandemia de Covid-19, em que as atividades presenciais precisaram sair de cena temporariamente e dar vez às virtuais, em virtude do isolamento social, principal medida protetiva em combate à proliferação do vírus, a edição 2021 traz à tona, debates, shows, performances e oficinas. Neste sentido, o ‘showcase’, que à princípio a jovem ministraria precisou ser cancelado, entretanto, ela foi convidada para ser uma das atrações da “LINE” de mentoria.

Apaixonada pelo campo musical, a artista também é atenta às culturas afro-brasileira e africana e, procura, sempre que possível, introduzir os seus conhecimentos e as suas raízes nos projetos. “Além de estar feliz, também fico muito emocionada com o reconhecimento do meu trabalho. Mesmo com o pouco material que possuo por falta de acesso, saber que, de algum modo, isso já toca as pessoas a ponto de eu entrar na ‘LINE’ de um festival grande como esse, é um sentimento de estar fazendo tudo certo”, ressalta.

Perseverante, Emily iniciou sua trajetória musical aos 17 anos de idade, quando começou a cantar. Formada pela Escola Municipal de Artes Maria José Guedes (EMART), a jovem, em seguida, começou a atuar em rodas de rimas em Macaé, gravando, posteriormente, canções e clipes de autorias próprias. E, de lá para cá, ela, que já teve a oportunidade de dividir os palcos da vida com nomes da música como Maria Gadú e Preta Rara, só vem crescendo.

Sobre a sua participação, ela afirma. “Uma mulher do interior do estado fazendo rap e sendo reconhecida por isso, é tudo por mim e pelos meus ancestrais”. Para participar do “Festival Rec-Beat” que não precisa de inscrição ou saber mais informações, basta acessar o link https://www.instagram.com/p/CNArLMPF64g/?igshid=13ddtvn9ozpzz.

Crédito: Divulgação

Mais lidas da semana