Mídias Sociais

Cultura

“Juntos por Búzios” reúne pessoas para garantir a alimentação dos mais necessitados durante a quarentena

Publicado

em

 

 

“Juntos por Búzios” reúne pessoas para garantir a alimentação dos mais necessitados durante a quarenten

Da redação

O grupo já arrecadou mais de 385 cestas básicas que são entregues, na sua maioria, à famílias carentes mapeadas por instituições que já realizam trabalho social em Búzios.

A pandemia de Covid-19 levou as cidades de todo o mundo ao isolamento social, necessário para conter o avanço deste vírus. Mas uma das reais consequências é a severa crise econômica que está assolando com força famílias com menos poder aquisitivo. Em Búzios, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, não é diferente. Muitas famílias tinham na merenda escolar a segurança da alimentação diária de seus filhos. Muitos trabalhadores informais se viram de repente sem campo de trabalho. Microempreendedores que estão com suas atividades paralisadas.

A consequência direta para este grupo de pessoas que não conta com reservas financeiras para atravessar os meses duros que ainda estão por vir é a cruel realidade da fome.

O “Juntos por Búzios” é a extensão de uma campanha de Natal que já existe e é realizada por um tradicional mercado familiar em Manguinhos, o Mercado do Mica e apoiadores, que sensibilizados com a situação atual adiantaram a ação de solidariedade. Somou-se a eles os esforços da empreendedora Kiki Reis e seu marido, o arquiteto Octavio Raja Gabaglia, o Otavinho. A união dos esforços de cada participante levou a conquista de mais de 385 cestas básicas que já foram entregues à famílias de Búzios e arredores, que não são privilegiados pela ajuda de ninguém. Afinal, fome não tem endereço.

A ajuda financeira para este feito veio através de amigos e moradores, a grande maioria tem Búzios como uma segunda casa e só querem o bem da Cidade.

“Nós identificamos essas famílias, em um primeiro momento, através do porta a porta. Foi uma semana bem complicada, pois quem estava na rua fazendo nossa distribuição se deparava por vezes com várias pessoas, já em situação de fome e desespero que, de repente, apareciam a volta do carro. Parávamos o carro para iniciar a prospecção e as pessoas, que já começavam a conhecer nossa iniciativa, surgiam do nada. E para ultrapassar esta fase morosa, comecei a contatar instituições diversas dentro do nosso município, que já realizam há anos trabalhos solidários junto à população e que são vistas como referência em momentos difíceis. Estas instituições têm essas famílias vulneráveis bem mapeadas e esta rede de contatos é ouro neste momento”, explica Kiki.

Algumas das instituições e/ou seus membros que nos ajudam a mapear as famílias em necessidade

• Centro Espirita Chico Xavier, Vila Caranga
• Casa do Caminho Lar Espírita Irmão Estevão, Alto da Boa Vista – Rasa
• ONG Associação de Educação para a Paz, Maria Joaquina
• Associação Amigas do Bem, Rasa
• Igreja da Assembleia de Deus Ministério Madureira, José Gonçalves
• Comunidade Evangélica Jardim da Restauração, Igreja CEJAR em Cem Braças
• Igreja Pentecostal Renovada, Rasa
• Igreja Batista Porta Aberta, Maria Joaquina
• Radio Búzios Comunidade
• CRER-VIP
• Ambulantes e camelôs que trabalham na praça, praias e que contam com um número considerável de estrangeirosO objetivo agora é dobrar a arrecadação anterior e poder entregar a mais famílias e assim garantir a segurança alimentar no período do isolamento social. Quem quiser ajudar pode entrar em contato pelo 22 99920-3032.

Crédito: Divulgação

Mais lidas da semana