Mídias Sociais

Cidades

Violência assombra Araruama e preocupa segurança pública.

Avatar

Publicado

em

 

Araruama está em 4° na Região dos Lagos e em 15° posição de cidade mais violenta do Estado do Rio de Janeiro, segundo dados do relatório do Mapa da Violência. Em 2015, a pesquisa mostrou que mais de 112 mil pessoas foram mortas por armas de fogo, nos mais 5,5 mil municípios brasileiros. Araruama ficou entre os 300 municípios do Brasil que mais matam por arma da fogo, na 257ª colocação do ranking nacional, com média de 29,2 e 30,4 homicídios por ano. Em relação a morte de jovens, Araruama consta como a 216º que mais matam jovens.

Já os dados divulgados em abril deste ano manteve as más notícias para o município e o restante da Região dos Lagos. A microrregião conhecida no Estado como Costa do Sol é a segunda colocada em número de homicídios a cada 100 mil habitantes (55,43), atrás apenas da de Itaguaí (58,04) – Itaguaí, Mangaratiba e Seropédica. Os números estão no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, e foram cruzados com  informações diretas da polícia. A Região dos Lagos fica à frente, inclusive, do Grande Rio e de áreas famosas por formação de grupos de extermínio, tais como Belford Roxo, Duque de Caxias, Guapimirim, Itaboraí, Japeri, Magé, Maricá, Mesquita, Nilópolis, Niterói, Nova Iguaçu, Queimados, São Gonçalo, São João de Meriti e Tanguá. A região metropolitana tem 11,8 milhões de habitantes e taxa de 32,31 a cada 100 mil. A Região dos Lagos, ao todo, soma pouco mais de 586 mil pessoas.

Segundo o cientista social Moisés Porto, a migração da violência para cidades do interior está relacionada a fatores como crescimento econômico, investimento em segurança nas metrópoles e maior abrangência de facções criminosas em busca de novos mercados consumidores. "As maiores vítimas da violência são os homens negros com idade entre 15 e 30 anos, moradores de áreas periféricas", aponta. O relatório do Mapa da Violência é uma pesquisa organizada por Julio Jacobo Waiselfsz que focaliza a evolução dos homicídios por armas de fogo no Brasil a partir de 1980. Também é estudada a incidência de fatores como o sexo, a raça/cor e as idades das vítimas dessa mortalidade. São apontadas as características da evolução dos homicídios por armas de fogo nas 27 Unidades da Federação, nas 27 Capitais e nos municípios com elevados níveis de mortalidade causada por armas de fogo.

Mais lidas da semana