Mídias Sociais

Cidades

Sobe para cinco o número de casos de febre amarela no Estado do Rio

Avatar

Publicado

em

 

Quarto e quinto casos são de dois moradores de Casimiro de Abreu. Um deles é o tio de Watila Santos, que morreu em decorrência da doença

 

 

Subiu para cinco o número de casos de febre amarela no Estado do Rio de Janeiro. O quarto e quinto casos foram confirmados nessa quinta-feira (23) pela prefeitura de Casimiro de Abreu.

Os dois novos casos são de dois moradores da cidade. Um deles é o tio de Watila Santos, de 38 anos,  que morreu em decorrência da doença no município. Eles foram identificados como Abreu Jairo Bochorny, de 68 anos, e Pedro de Oliveira Santos, que é o tio do pedreiro Watila.

Jairo foi encaminhado para o Hospital dos Servidores, na capital, para tratamento.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Casimiro de Abreu afirmou que acompanha o caso de perto e informou que o quadro de saúde de Jairo é estável. Ainda segundo a nota, Pedro Santos também está bem.

Falta de vacinas

Apesar de todos os casos de febre amarela registrados no Estado do Rio terem sido em Casimiro de Abreu, as vacinas estão em falta no município da Baixada Litorânea. De acordo com informações da prefeitura, a cidade recebeu 43 mil doses , sendo que  40 mil são moradores, mas no mutirão de vacinação realizado na última semana, a cidade recebeu muitas pessoas de fora.

Na última segunda-feira (20),  um novo lote de vacinas foi solicitado, mas o município recebeu apenas 2 mil doses, que acabaram no mesmo dia. Um novo lote é aguardado. Segundo a prefeitura, cerca de 80% da população foi vacinada. Desde segunda-feira apenas moradores podem se vacinar nos postos da cidade.

Desde que o Ministério da Saúde começou a monitorar mortes por febre amarela no país, em dezembro do ano passado, já foram notificados, até o último dia 17, 1.558 casos de pessoas com suspeita de terem contraído a doença. Deste total, 424 (27,22%) foram confirmados e 201 (12,90%), descartados. Os outros 933 (59,88%) ainda estão sendo investigados.

A Secretaria de Vigilância de Saúde do ministério também monitora ocorrências com macacos. Segundo o órgão, até sexta-feira passada, 389 primatas,  de um total de 1.249 notificações,   foram diagnosticados com febre amarela no país. Doze suspeitas foram descartadas e outras 394 continuam sendo investigadas.

Daniela Bairros

 

Crédito: Divulgação

 

 

 

Mais lidas da semana