Mídias Sociais

Cidades

Seguindo tendência mundial, Búzios cancela festas e shows

Publicado

em

 

Da redação

Uma reunião no fim da tarde dessa segunda-feira (21) envolvendo Ministério Público, Prefeitura e Associação Comercial e Empresarial de Búzios (Aceb), definiu pelo cancelamento de festas, shows e eventos privados com cobrança de ingresso na cidade. A medida foi incluída no Decreto Municipal 1.536/2020, publicado também nessa segunda-feira (21) e reforça a aproximação, o debate e o compromisso entre MP, executivo e entidades.

"Entendemos o contexto nacional e internacional, que vem cancelando eventos que possam causar aglomeração. A Aceb lamenta e se solidariza com as empresas do segmento pelo impacto econômico, social e financeiro. Fizemos o possível para enquadrar o importante setor dentro dos protocolos vigentes, no entanto, o aumento dos casos, a preocupação do executivo e uma parte da opinião pública acabaram pressionando para o cancelamento, que está sendo uma tendência mundial”, comentou  Rodrigo Sobral, vice-presidente da Associação Comercial e Empresarial de Búzios.

A associação articula uma campanha a ser lançada na próxima semana para sensibilizar os turistas e comerciantes a fazerem a sua parte no combate à Covid-19. Búzios continua entre os cinco destinos mais buscados para o Ano Novo no Estado do Rio, de acordo com o Portal Turismo Consciente, da Setur-RJ.

Quem vai viajar para a cidade deve ficar atento às medidas adotadas que envolvem o setor turístico:

O uso de máscara é obrigatório em espaços públicos (incluindo as praias, que estão liberadas) e privados de acesso ao público. A multa para quem infringir a regra é de R$ 700.

Hotéis, pousadas e demais meios de hospedagem podem trabalhar com 50% de sua capacidade máxima nos dias úteis e com 70% da capacidade aos sábados, domingos e feriados.

Para ter acesso ao município e passar pelas barreiras sanitárias que se encontram nas entradas da cidade, o visitante deve apresentar o QRCode emitido pelos estabelecimentos comerciais e meios de hospedagem.

Restaurantes, bares, supermercados, mercados e quiosques de praia podem abrir, mas devem operar com a redução de 50% de sua capacidade máxima.

Escunas, catamarãs e táxis aquáticos, assim como veículos de cooperativas municipais e veículos de transporte intermunicipal, também deverão funcionar com a capacidade reduzida em 50%.

Em todos os locais deverá ser disponibilizado álcool 70% para clientes e mantido o distanciamento social.

Crédito: Mateus Coutinho

Mais lidas da semana