Mídias Sociais

Cidades

Rodando Legal revela que incêndio em seu depósito em Macaé foi criminoso

Avatar

Publicado

em

 

Um incêndio no último domingo no depósito da Rodando Legal em Macaé criou um grande burburinho na internet nesta segunda-feira, 15, com a possibilidade das chamas terem danificado veículos que estariam no pátio.

Para acalmar os donos dos veículos que se encontram no local, porém, Marcelo Fonseca, o supervisor do depósito da empresa responsável pelo reboque e pelo armazenamento dos veículos apreendidos pela Polícia Militar, explicou que nenhum veículo de cliente foi danificado.

“O incêndio foi provocado por coquetéis molotov jogados de fora do pátio. Nós chamamos a polícia e os bombeiros, que jê estiveram aqui e fizeram todo o trabalho de rescaldo e perícia. É importante que a população saiba que nenhum veículo dos nossos clientes foi danificado, apenas veículos que já estavam separados para a prensa”, conta ele, revelando que 12 veículos foram atingidos pelas chamas criminosas.

Marcelo conta ainda que durante a investigação da polícia, foi encontrado um buraco no muro, onde foi achado um galão de 5 litros e combustível e alguns coquetéis molotov que não incendiaram, e diz que a empresa aguarda agora o laudo da perícia do Corpo de Bombeiros, que deve ficar pronto em uma semana.

Segundo o supervisor, os carros atingidos pelo incêndio já estariam separados e teriam passado por todos os procedimentos para passar pela prensa. Entre esses procedimentos estariam a descontaminação dos veículos, com a retirada do óleo e outros componentes químicos prejudiciais à natureza.

“É importante explica à população também que a Rodando Legal é uma empresa contratada pelo Governo do Estado para manter a integridade dos veículos apreendidos, ou seja, nós não apreendemos veículos. Isso cabe à Polícia Militar e aos agentes do Detro. O que nós fazemos é manter a integridade do patrimônio do cliente. E se houvesse qualquer problema, como já aconteceu uma vez, nós assumiríamos a responsabilidade pelos danos causados. Mas não foi isso que aconteceu. Nossos clientes podem ficar tranquilos”, garantiu Marcelo.

Tunan Teixeira

Mais lidas da semana