Mídias Sociais

Cidades

Rio das Ostras: sites do Programa de Saúde e Bem-Estar Animal de Rio das Ostras são lançados

Avatar

Publicado

em

 

 

Rio das Ostras lançou no último fim de semana uma importante ferramenta para avaliar o controle populacional de cães e gatos abandonados, cujos números crescem a olhos vistos pelas ruas da cidade. Trata-se do Programa de Saúde e Bem-Estar Animal (PSA), que ajuda no controle populacional dos animais, além de receber aqueles que são atropelados, ou que são portadores de alguma doença que precisa ser tratada, e que teve seu site lançado na última sexta-feira, 3 de junho.

“O PSA cuida dos animais até a sua cura, e ainda vermifuga, castra e os encaminha para adoção”, explica a prefeitura.
A nova página do Programa, que pode ser acessada através do endereço eletrônico riodasostras.rj.gov.br/psa, será usada para melhorar a comunicação entre protetores dos animais, comunidade e voluntários, com os responsáveis pelos animais que são cuidados e abrigados pela prefeitura.

Bastante informativa, a página vem com fotos de cães e gatos para adoção, bem como os documentos necessários para a efetivação da posse responsável dos animais. O site conta ainda com outros dados importantes que tratam da legislação municipal sobre a criação do Programa Municipal de Saúde e Bem Estar Animal (PSA).

Na página, os usuários também encontram informações sobre a criação, propriedade, posse e guarda, uso e transporte de cães e gatos no município, de acordo com a política de respeito aos animais, além do decreto que criou o “Plano de Controle e Tratamento da Esporotricose”, uma doença que pode ser transmitida aos seres humanos.

No site também existe um espaço próprio para animais achados e perdidos. Basta enviar as fotos e os dados de contato para o e-mail departamentodeinternet@gmail.com, que a própria equipe do PSA promete ajudar a promover o reencontro do dono com seu animal.

Segundo a Coordenadora do PSA, Bianca Curci, todos os animais adotados são entregues vermifugados, vacinados e esterilizados. “Os animais que ainda são filhotes, já saem com a data marcada para a esterilização, de forma gratuita. A cirurgia será feita quando atingirem a idade ideal”, explica a prefeitura.

Esporotricose – Causada pelo fungo Sporothrix schenckii, a esporotricose é uma micose que pode afetar animais e humanos. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) informa que desde o final da década de 1990, o Estado do Rio de Janeiro tem registrado grande número de ocorrências da doença em animais, especialmente em gatos.
Porém, quem se assusta com as feridas profundas causadas pela doença, já pode recuperar as esperanças, pois há tratamento para a micose, e o diagnóstico dos animais já pode ser feito na maioria das clínicas veterinárias.

“Não abandone, maltrate ou sacrifique o animal com suspeita da doença. Procure o tratamento adequado e se informe sobre os cuidados que deve ter para cuidar de seu animal sem colocar em risco a própria saúde”, orienta a Fiocruz.

Na Fundação, o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI) é a unidade que pesquisa a esporotricose. No site da Fundação, é possível conferir respostas a perguntas frequentes de donos de animais e curiosos acerca da doença, que tem tratamento e tem cura.

Mais lidas da semana