Mídias Sociais

Cidades

Reboque de veículos com vistorias agendadas causa revolta em Macaé

Avatar

Publicado

em

 

Ações em dias, horários e locais variados tiram de circulação carros e motos com documentação em atraso. Por causa disso, muitos são os questionamentos e o descontentamento da população por conta das repetitivas operações realizadas pelos agentes do Detran. Nas ações, é verificada documentação dos carros e dos condutores e em caso de constatar algum atraso ou irregularidade, o veículo vai parar no pátio do Detran, de onde só sai depois do pagamento de multa, diária e taxa de reboque.

E o resultado disso pode ser visto por qualquer pessoa que passa pela porta do depósito da instituição: um pátio lotado de veículos e de motocicletas aguardando o resgate dos seus proprietários.

De acordo com o site do Detran, pra reaver o carro, o proprietário deverá apresentar original e cópia do RG ou CNH, do CPF e comprovante de residência. Também original e duas cópias da documentação do veículo (registro e licenciamento) e da guia de recolhimento do veículo (GRV). O usuário deverá pagar as diárias de permanência no pátio, bem como a taxa de remoção e os débitos que porventura ainda existam sobre IPVA.

No entanto, esta condição deveria apenas ser uma dor de cabeça para os que andam na irregularidade. Já aqueles que tentaram, mas não conseguiram fazer a vistoria dentro do prazo, mas que estão com a vistoria agendada, não podem ter o veículo rebocado. Ou não deveriam. Mas não é o que aconteceu em Macaé.

A maioria das pessoas têm reclamado da dificuldade em conseguir agendar as vistorias para colocar a documentação do veículo em dia.

“Passei por uma blitz e o meu carro foi apreendido. E a minha vistoria já estava agendada. Mostrei para o policial militar que estava tudo pago, tudo agendado, mas não teve jeito. Agora vai ser mais um dinheiro que eu vou ter que perder. Lamentável”, disse um motorista que preferiu não se identificar.

A assessoria de Comunicação Social do Detran explicou os critérios trabalhados durante as operações. “Nossos agentes verificam as condições de segurança dos automóveis e o porte dos documentos obrigatórios. Assim, quem não submeteu seu veículo à vistoria anual obrigatória ou não tiver os documentos de porte obrigatório terá o automóvel apreendido se for flagrado assim em qualquer operação realizada por fiscais de trânsito — não só do Detran, mas de qualquer órgão dotado desse poder, como Polícia Militar, prefeituras, Polícia Rodoviária Federal e Detro, por exemplo”.

A reportagem do jornal DiárioCS procurou a assessoria de imprensa da Polícia Militar para saber porquê os carros com vistorias agendadas também estavam sendo apreendidos. Por meio de nota, eles informaram que “as operações de trânsito realizadas pelo 32º BPM (Macaé) seguem o que está descrito no Código de Trânsito Brasileiro”.

 

Flávia Martins

 

Mais lidas da semana