Mídias Sociais

Cidades

Prefeito de Cabo Frio teme que bloqueio de contas contribuía para caos na cidade

Avatar

Publicado

em

 

A Prefeitura Municipal de Cabo Frio continua com as contas bloqueadas pela justiça, após mais atrasos no pagamento do salário dos servidores. Diante desta situação, o prefeito Alair Corrêa, mais uma vez recorreu as redes sociais para justificar os problemas da cidade.

Em post realizado no seu blog, Alair fala sobre a situação “inusitada”, que inviabiliza que a Secretaria de Fazenda realize seu trabalho e honre com o pagamento de fornecedores e empresas, o que pode gerar transtornos para a cidade.

“A cidade não pode parar e nem pagar por essa incomum situação! Por isso fazemos um apelo aos fornecedores e empresas para que não suspendam os serviços, principalmente o de limpeza e a coleta do lixo porque seria o caos para todos os munícipes! Acreditamos que conseguiremos virar essa página, desbloqueando o dinheiro e retomando a governança do que se arrecada, hoje nas mãos do juízo local. Como todos sabem que administramos 20 milhões a menos todo mês, nos comprometemos a fazer como antes, pagando um pouco a cada empresa, mas mantendo os serviços”, justificou o prefeito da cidade.

De forma incoerente, Alair Corrêa, finalizou o texto afirmando que os professores estão recebendo regularmente. “Aos funcionários informamos que, exceto os professores que vem recebendo regularmente e preferencialmente em relação as outras categorias, continuamos dependendo da entrada de recursos e a liberação do pagamento pelo juiz”, concluiu.

Podemos dizer de forma incoerente, já que diversos profissionais da educação, inclusive professores, afirmam continuar com a sua conta zerada, além dos atrasos vivenciados todos os meses.

“Vivemos uma constante agonia para saber quando vamos receber. Temos que economizar o máximo possível porque não sabemos quando vamos ter outro pagamento. É lamentável trabalhar sem saber quando vai receber. Tem gente que não recebe desde maio”, comentou uma professora da rede municipal.

 

Mais lidas da semana