Mídias Sociais

Cidades

Ponte da Baixada é problema antigo para a população de Carapebus

Publicado

em

 

A cidade foi atingida por uma forte enchente, a água ultrapassou o leito e atingiu o asfalto.

Da redação

A ponte de concreto existente na Baixada é  um problema antigo para os moradores de Carapebus.A força das águas dos últimos meses, abalou parte da estrutura e a base da ponte desmoronou. A administração municipal interditou a ponte, e de forma paliativa, criou um desvio no bairro Lameiro, que vem causando grandes transtornos aos usuários.

A prefeita Christiane Cordeiro, o secretário de Obras, Vinicius Bittencourt, juntamente com vereadores e outras autoridades municipais vêm se empenhando em solucionar o problema, que é de responsabilidade do estado. Há dois meses, uma comitiva carapebuense liderada por Christiane esteve em visita ao vice governador Francisco Dornelles e o Presidente do DER, Ângelo  Pinto enfatizando a imediata necessidade da  construção de uma nova ponte, para que seja solucionado o mais breve possível. O pedido foi encaminhado à diretoria do DER. Na época Christiane detalhou ao diretor do DER que, “A ponte da Baixada está sendo usado por caminhões e carretas que transportam mercadorias e material até para Porto de Açu. E diariamente, ônibus e carros pequenos circulam intensivamente e com a situação do local sob o risco de acidente. Estamos preocupados com a segurança da população. Segundo o engenheiro Maxuel, a prefeitura realizou o monitoramento mensal da ponte durante 2017 e “constatou indícios de problemas estruturais com o afundamento de sua base devido a seca que registrou ao longo do ano. Entregamos o laudo da interdição junto ao DER há duas semanas. Vieram os técnicos do órgão que confirmaram o problema e indicaram a necessidade de se refazer em caráter de urgência a ponte”.

A ponte da Baixada é importante via de escoamento de produtos onshore e offshore, além de pessoas servindo como interligação entre os municípios de Macaé, com Quissamã e Campos (Barra do Furado) via Carapebus.

Crédito: Divulgação


 

Mais lidas do mês