Mídias Sociais

Cidades

Operação noturno identifica crimes ambientes no Distrito de Tamoios, em Cabo Frio

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

Uma operação noturna realizada por agentes da Secretaria de Meio Ambiente e com policiais militares do 25º BPM no distrito de Tamoios, em Cabo Frio, identificou mais uma série de crimes ambientais na localidade.

Durante as operações os agentes identificaram que os crimes aconteciam na localidade conhecida como Centro Hípico, na Área de Proteção Ambiental da Bacia do Rio São João, onde foram observados parcelamento de solo para fins comerciais (venda de lotes) com supressão de vegetação nativa (crime ambiental). Os fiscais também apagaram incêndio na mata.

Apesar do objetivo ser flagrar os infratores em ação e prendê-los, assim como os equipamentos utilizados, ninguém foi encontrado no local. Mas a equipe possui a identificação das máquinas utilizadas nas infrações e, com os dados, deram início a um processo administrativo que será remetido aos órgãos de controle externo a fim de que a responsabilidade pelos danos seja apurada, os autores criminalizados e as máquinas apreendidas.

As ações abrangeram também a área do Parque do Mico-Leão-Dourado e todos os pontos mais sensíveis a esse tipo de ação no distrito de Tamoios.

Segundo a Prefeitura, diante das infrações noturnas, a Coordenadoria-Geral de Assuntos Fundiários vai destacar dois agentes para ficar em plantão permanente em Tamoios, com veículo próprio, para tornar mais rápida a resposta às denúncias.  Em caso de flagrantes, a equipe baseada no primeiro distrito será acionada para dar o apoio necessário.

“As denúncias iniciaram há um mês e, somente na semana passada, foram três ocorrências. As operações noturnas são uma resposta à população, que vinha observando a movimentação de máquinas pesadas em direção ao Centro Hípico, sempre após as 19h. Agradeço o apoio incondicional da Secretaria do Meio Ambiente e da PM na realização das operações, que serão mantidas para coibir a audácia desses infratores”, afirmou o coordenador-geral de Assuntos Fundiários, Ricardo Sampaio.

Segundo ele, os transgressores também desmatavam o terreno, promoviam queimadas e até enterravam algumas árvores na tentativa de esconder o crime ambiental.  Em caso de denúncias de invasões em áreas públicas ou de preservação ambiental a população pode informar à Coordenadoria-Geral de assuntos Fundiários de Cabo Frio pelo e-mail cogeafcabofrio@gmail.com.

Mais lidas da semana