Mídias Sociais

Cidades

Nova diretoria do Hospital da Mulher de Cabo Frio divulga balanço após 120 de gestão

Thaiany Pieroni

Publicado

em

 

Após 120 dias a frente do Hospital da Mulher, em Cabo Frio, a nova gestão realizou e divulgou um balanço do trabalho que vem sendo realizado. Segundo a gestão, o plano de ação, que foi colocado em prática, visa que a unidade se torne referência em atendimento.

De acordo com o balanço, nos últimos quatro meses, foram realizados mais de 3 mil e 500 atendimentos. E para atender essa demanda houve um aumento no quadro de funcionários: foram contratados mais 10 médicos e doulas para o apoio ao pré-parto, além de instituir o plantão 24 horas na recepção.

A diretora técnica da unidade, a ginecologista e obstetra Cristina do Vale Faria, explicou que, além do reforço na equipe, foi implantado comissões para auxiliar nos processos.

“A unidade conta agora com cinco comissões que irá contribuir para a execução dos processos internos. As comissões são de controle hospitalar, ética, revisão de prontuário, segurança e óbito”, diz Cristina.

Também foi reforçada a atuação em parceria com a Estratégia de Saúde de Família (ESF), que visa garantir o melhor atendimento, de acordo com a diretora geral do hospital, a ginecologista e obstetra Tânia Lydia Matosinhos Lowen Pires.

“Os ESFs são unidades existentes em diversos bairros da cidade que realizam o pré-natal das mulheres. Com a aproximação, o hospital consegue mapear se a mulher está realizando todo o acompanhamento necessário. O resultado é menos complicações durante a gestação e no parto”, explica Tânia.

Outro passo importante dado pela nova gestão é a conquista do projeto do Governo Federal, a “Rede Cegonha”, que está sendo estabelecido na unidade. Essa medida também irá colaborar para reduzir a mortalidade materna e infantil, além de diversas outras medidas para proporcionar saúde, qualidade de vida e bem-estar durante a gestação, parto, pós-parto e o desenvolvimento da criança até os dois primeiros anos de vida.

Para o corpo técnico, foram realizados cursos de capacitação de enfermagem obstétrica e teste rápido de sífilis. Esse teste deve ser feito no início da gestação e evita parto pré-maturo e complicações com o bebê. Nesse contexto, foi instituído o protocolo de infecção neonatal e puerperal, possibilitando o alinhamento do atendimento nesses casos desde a entrada do paciente.

“Estamos buscando mais qualificação para trazer o atendimento humanizado. Os pilares na nossa administração são a humanização, qualidade e constante capacitação dos funcionários para tornar o hospital referência no atendimento”, conclui a Diretora Administrativa, Simone Sant’Anna.

Mais lidas da semana