Mídias Sociais

Cidades

Moradores do Lagomar, em Macaé, vivem expectativa pela inauguração da ETE

Avatar

Publicado

em

 

A notícia da proximidade da inauguração da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Lagomar, em Macaé, trouxe esperança aos moradores do bairro, que em breve deixarão para trás um problema que os atormenta há anos.

“A expectativa pela inauguração da ETE é muito boa da gente aqui no Lagomar, porque vai melhorar muito. Só de acabar esse problema do esgoto, já vai ser muito bom”, comemora Sueli, a Presidente da Associação de Moradores do Lagomar, que prefere ser chamada de Sussu, como é conhecida no bairro.

A ETE, que iniciou sua fase de pré-operação na semana passada, após liberação da licença ambiental, tem capacidade para tratar 3 milhões de litros de esgoto por dia, e deve atender a cerca de 40 mil famílias dos bairros Lagomar e Engenho da Praia.

Segundo Carneiro, morador do Lagomar desde 1998, a notícia é muito importante para os moradores, pois, passado o período de pré-operação, com o funcionamento total da unidade, o problema com o vazamento de esgoto em alguns pontos do bairro deve diminuir.

Ele alerta, porém, que os moradores também devem fazer a sua parte, que é se ligar à rede de esgoto, já que muitos ainda estão ligados a fossas, porque assim, eles podem evitar ligações clandestinas que contribuem para a poluição da praia e da lagoa do bairro.

A presidente Sussu também ressalta a importância da obra e das melhorias feitas pelo governo do Prefeito Dr. Aluízio, que, segundo ela, devem ser vistos sem partidarismo, tamanhas as mudanças que o bairro sofreu nos últimos 3 anos e meio.

“As pessoas que chegaram recentemente e só viram as obras, de repente, podem até reclamar, mas é só olhar para como o Lagomar era antes e como está o Lagomar agora. Claro que sempre tem problema, mas olhando para o que o bairro era e para como está ficando, melhorou muito”, acredita ela.

De acordo com Maurício Passeado, técnico da Secretaria de Obras, responsável por essa fase da ETE, que está funcionando com 70% da capacidade, os trabalhos estão sendo feitos com o acompanhamento de técnico da prefeitura e da Odebrecht Ambiental, que irá assumir a operação da unidade após a inauguração.

Tunan Teixeira

Mais lidas da semana