Mídias Sociais

Cidades

Manifestantes ocupam Câmara e almoçam dentro do plenário

Avatar

Publicado

em

 

 

Os profissionais da educação que ocuparam a Câmara dos Vereadores e impediram a realização da sessão ordinária desta terça-feira (10), ficaram até o fim da tarde no plenário. E com o avançar das horas, a fome chegou, e com ela cerca de 40 quentinhas que foram entregues para eles. Uma cena que não se vê todo dia, mas aconteceu de verdade. Os profissionais almoçaram ali mesmo, dentro do plenário. Alguns inclusive comeram suas quentinhas nas cadeiras dos vereadores. Outro grupo ficou nos bancos destinados à assistência (público) e outros preferiram sentar no chão mesmo.

Os manifestantes ocuparam a Câmara pela manhã, pouco antes da sessão começar. Quando os vereadores iam começar a votar um projeto de lei que autoriza a Prefeitura a fazer um empréstimo de R$ 200 milhões junto ao Banco do Brasil, a confusão se formou. A Polícia Militar teve que ser acionada para garantir a segurança e a sessão teve que ser interrompida, e posteriormente, foi encerrada. Na manhã desta terça-feira (10), a categoria também deu início a uma paralisação de 72 horas que deixou os estudantes sem aula. Esta é a segunda paralisação da categoria desde o início do ano letivo, que já começou com atraso, no dia 4 de abril, devido à grave que durou três meses. O SEPE informou que mais ações serão realizadas ao longo dos próximos dias para chamar a atenção para os problemas da educação em Cabo Frio.

 

Nota da Câmara:

 

Devido às solicitações que foram enviadas, o Legislativo esclarece que:

 

A Câmara Municipal de Cabo Frio foi ocupada pelos profissionais da educação, durante a sessão ordinária desta terça-feira (10). Os manifestantes permaneceram na Casa até às 15h30 do mesmo dia. Durante a sessão, às 10h, a categoria que ocupava a assistência invadiu o plenário da Casa. A sessão ordinária foi suspensa por 20 minutos para negociação com os servidores, que estavam irredutíveis, sendo assim a sessão se deu por encerrada.

Devido à gritaria, tumulto, ofensas e ânimos exaltados dos manifestantes, a Polícia Militar foi acionada para manter a segurança dos presentes e permaneceram no local.  Os profissionais da educação continuaram no Plenário Oswaldo Rodrigues até às 15h30. A Procuradoria Geral da Câmara já está tomando medidas cabíveis para que essa situação não volte a acontecer durante a sessão na próxima quinta-feira (12).

 

Mais lidas da semana