Mídias Sociais

Cidades

Macaé: 205 anos e suas riquezas exuberantes e encantos naturais

Bertha Muniz

Publicado

em

 

Princesinha do Atlântico é destaque no turismo ecológico, lugares históricos e gastronomia internacional. Viaje conosco nesse guia dos melhores cenários da cidade. 

Macaé se propaga por se um local onde é possível aproveitar tanto as praias, quantos as cachoeiras localizadas em meio a belíssimas montanhas. A antiga vila de pescadores, que está apenas a 180 quilômetros do Rio de Janeiro, é atraente não só por suas praias, mas também por ser considerada a Capital Nacional do Petróleo. A cidade tem grande importância e forte desenvolvimento na indústria de óleo e gás, e muito além disso, oferece aos turistas dezenas de opções de lazer e entretenimento, com enormes áreas verdes, praias, lagoas, serra, cachoeiras e tranquilidade.

A grande exploração de petróleo na região não ofusca a vocação para o turismo ecológico. Cercado de belezas naturais, o município tem um grande potencial principalmente nos distritos da região serrana. São 11 quilômetros de praias, lagoas costeiras e santuários ecológicos.

Há muitas praias em Macaé, com a vantagem de estarem perto da natureza e, ao mesmo tempo, do centro da cidade. A Praia do Pecado tem um visual paradisíaco e suas águas são ideais para o surf. A Praia dos Cavaleiros é uma das mais populares de Macaé, onde os moradores e turistas praticam esportes na areia.

A Lagoa de Imboassica é separada do oceano por uma fina faixa de areia e é um ótimo lugar para a prática de kitesurf e de esportes náuticos. A orla da lagoa também é excelente para caminhadas e passeios de bicicleta. Outra dica é a Cachoeira do Escorrega, onde o leito do Rio Sana forrado de pedras deságua em uma belíssima piscina natural.

Arquipélago de Santana

O arquipélago de Santana forma alguns dos cenários mais bonitos de Macaé. Formado pelas ilhas do Francês, Santana e Ilhote Sul, é área de proteção ambiental e local de desova de várias espécies de aves marinhas migratórias em meio a areias brancas e águas transparentes.

 

 

 

 

História

Tradicionais entidades fundadas no século XIX, a Sociedade Musical Nova Aurora e Lyra dos Conspiradores fazem parte da formação musical do município.

Sociedade Musical Nova Aurora. Foto: Bruno Campos/ Prefeitura de Macaé

A cidade oferece aos seus visitantes outros atrativos como a Fundação Macaé de Cultura, a Biblioteca Municipal Télio Barreto, Galeria de Artes Hindemburgo Olive, Forte Marechal Hermes, fortaleza construída no século XVII.

 

 

 

 

 

Igreja de Sant' Ana

A história da Igreja de Santana se confunde com o início da colonização de Macaé, feita pelos padres jesuítas a partir de 1630. No mesmo ano, eles começaram a erguer no alto do morro a Capela de Santana, um engenho e um colégio, num lugar que mais tarde ficou conhecido como a Fazenda dos Jesuítas de Macaé. Nos fundos da capela, foi instalado um pequeno cemitério, que até hoje guarda os restos mortais de alguns padres.

 

Igreja de Sant'Anna, Macaé. Foto: Star Drone.

Além do açúcar, os padres produziam farinha de mandioca em quantidade e extraíam madeira para construções navais e edificações. Em 1759, a fazenda foi incorporada aos bens da coroa portuguesa pelo desembargador João Cardoso de Menezes. No mesmo ano, os jesuítas foram expulsos do Brasil, imposição feita pelo Marquês de Pombal. A Igreja de Santana foi fundada um século mais tarde, em 1898, no local onde foi erguida a primeira capela dos jesuítas.

A igrejinha no alto do morro também faz parte da lenda mais popular da cidade. Conta a lenda que a Imagem de Santana foi encontrada por pescadores, numa das Ilhas do Arquipélago que lhe dá o nome (Ilha de Santana). Trazida para o povoado, a imagem teria sido colocada no Altar Mor da Capela dos Jesuítas, desaparecendo misteriosamente no dia seguinte. Foi encontrada alguns dias após, na ilha e levada novamente à Capela. O fato repetiu-se mais duas vezes. Na terceira fuga, concluíram os devotos que a Santa sentia saudades da ilha que era avistada do Altar da Capela. Desta forma, os padres reedificaram o templo, voltando sua fachada frontal para o ocidente onde a Santa não “veria” mais o mar e o arquipélago de onde viera.

Serra

Formada pelos distritos de Cachoeiros de Macaé, Córrego do Ouro, Trapiche, Glicério, Frade e Sana, as serras macaenses oferecem opções para quem busca contato com a natureza, prática de ecoturismo e aventuras. Rios, quedas d'água, cachoeiras, e mirantes de tirar o fôlego, além de clima ameno e vegetação exuberante no meio da Mata Atlântica preservada.

A região também abriga hotéis e pousadas menores para quem desejar uma estadia mais intimista. Na contramão da agitação das praias, há a opção de visitar e aproveitar a região serrana de Macaé. O município oferece opções como Arraial do Sana, ou Sana. São cachoeiras incríveis. Antes dali, tem o distrito de Glicério, famoso por suas corredeiras. Ótima opção para os amantes da canoagem.

 

 

 

 

Peito do Pombo

Um dos pontos turísticos mais cobiçados pelos visitantes, mas, ao mesmo tempo menos frequentado, é a famosa pedra do "Peito do Pombo". Há 1400 m de altitude, a formação rochosa recebe este nome, justamente por ter o formato da ave.

Mas, chegar lá exige pelo menos sete horas de caminhada. Amantes do trekking encaram a trilha tranquilamente por um único motivo: deslumbrar a linda visão litorânea de Macaé, Búzios e Cabo Frio, vista do alto da montanha. Reza a lenda que a pedra adquiriu este formato pelas provocações climáticas dos raios. O parque dispõe de guias para chegar à pedra.

 

 

Gastronomia diversificada e internacional

Da alta gastronomia à mais tradicional cozinha de botequim, Macaé proporciona empreendimentos suculentos e deliciosos quando este é o assunto.

Oferecendo seus pratos típicos, a cidade também trata de abrigar restaurantes com diversos sabores que agradam a todos que a visitam. Seus Festivais Gastronômicos durante todo o ano, movimentam a cidade, atraindo turistas e a população local. No Mercado de Peixes, você também pode experimentar o melhor da culinária, além de adquirir pescado fresco e da melhor qualidade.

 

 

 

Turismo

De acordo com a Prefeitura Municipal, hoje, Macaé tem o maior parque hoteleiro do interior do estado. O turismo de negócios cresce de 6% a 9% ao ano, correspondendo a 71% do setor e 10% do PIB do município. Por conta deste desempenho, a cidade ganhou o Selo de Ouro do Turismo, da EMBRATUR. Esta movimentação tem impulsionado investimentos em lazer e gastronomia. Prova disso, é o Pólo gastronômico, na Orla da Praia dos Cavaleiros. O projeto foi idealizado pelo Macaé Convention Visitors Bureau (Macaé CVB) visando fomentar a economia local, através de promoções de festivais, atraindo turista o ano todo.

Orla Praia dos Cavaleiros. Macaé. Foto: Moisés Bruno / Prefeitura de Macaé.

Macaé tem um forte potencial turístico, no entanto, é preciso melhorar a infraestrutura do município. “Uma cidade linda, com a segunda maior cadeia hoteleira do estado, uma grande variedade gastronômica e com praias que não devem nada a região dos lagos, com várias cachoeiras maravilhosas e sem o mínimo apoio do poder público seja na questão de infraestrutura, ou em interesse em criar um bom marketing para divulgar a cidade”, avalia a empresária do ramo de turismo, Denise Pinto.


O Ministério do Turismo voltou a destacar, no primeiro semestre no ano as belezas naturais de Macaé, a Capital Nacional do Petróleo. No site do órgão federal, intitulado “Uma grata surpresa chamada Macaé”, as belezas naturais da cidade são destacadas. Recentemente, o município alcançou o topo do ranking do turismo nacional, segundo informações da nova categorização do Ministério do Turismo, instrumento que identifica o desempenho da economia do setor nas cidades que constam no Mapa do Turismo Brasileiro.

Mais lidas da semana